Ressurreição de Cristo é anunciada durante Vigília Pascal

0

Na noite do último sábado, 11 de abril, o Arcebispo de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, presidiu a Solene Vigília Pascal na Catedral Metropolitana. A celebração teve início com a igreja na penumbra, ainda no espírito da morte do Senhor, recordada no dia anterior. Após a cerimônia de acendimento do Círio Pascal, imagem simbólica do Cristo Ressuscitado, o templo foi se iluminando aos poucos, chegando ao ápice no momento do “Glória”, quando o sino ressoou festivamente após dias de silêncio.

“Chegamos ao dia da Páscoa. Hoje podemos cantar, alegres no coração: ‘Cristo ressuscitou, aleluia!’. Aquele glória que nós não cantávamos durante a Quaresma, cantamos hoje, festivamente. As aleluias que nós não pronunciávamos, hoje cantamos solenemente. Os sinos que estavam silenciados desde quinta-feira agora tocam festivamente. É que Cristo ressuscitou, irmão, e não morre mais. E nós hoje celebramos em nosso meio a alegria dessa verdade”, disse o Arcebispo durante a homilia.

Dom Gil ainda relacionou a Páscoa do Senhor ao momento atual. “Nessa situação tão especial do mundo hodierno, marcado pela pandemia do novo coronavírus, a celebração da Páscoa representa, sem dúvida, um hálito de esperança, uma força que anima, sentimento que traz paz no meio das dúvidas e apreensões dos médicos e de toda a população”. E continuou: “Gostaria de oferecer essa noite santa, tão antiga na nossa Igreja, a Vigília que é a mãe de todas as vigílias, essa Páscoa do ano de 2020, a Deus em favor dos médicos, enfermeiros e ainda a todos os demais que trabalham no campo da sáude”.

Dois médicos estiveram presentes na celebração da Catedral, representando os profissionais de saúde de todo o mundo: Karen Ishii e Áureo de Almeida Delgado. Em entrevista, o gastroenterologista da Santa Casa de Misericórdia ressaltou a importância do respeito ao isolamento social e, também, da fé, no cenário atual. “Há necessidade de a população entender que é necessário ficar em casa. O isolamento social é a arma mais importante no momento para que a gente possa diminuir a curva de pacientes infectados e, com isso, diminuir o número de casos em pessoas que são mais vulneráveis. A doença vai ser curada através dos profissionais da saúde, dos medicamentos, mas a fé em Deus, a ajuda divina, também é extremamente importante”.

Após a homilia, foi realizada a cerimônia de bênção e aspersão da água, durante a qual os fiéis presentes e os que acompanhavam a Missa pela WebTV “A Voz Católica” e pela Rádio Catedral puderam renovar suas promessas batismais. Depois da Eucaristia, Dom Gil conduziu o Santíssimo Sacramento para a parte externa da Catedral, onde, de forma simbólica, abençoou Juiz de Fora e todo o território arquidiocesano.

Segundo o Arcebispo, este momento substituiu a procissão com o ostensório, tradicionalmente realizada após a Missa do Sábado Santo. A Bênção Pascal foi realizada a exemplo da Bênção “Urbi et Orbi”, dada pelo Papa Francisco da porta da Basílica de São Pedro no dia 27 de março. “Eu dei a bênção nos quatro pontos cardeais pedindo a Nosso Senhor que abençoe todas as nossas famílias: os católicos e os não católicos, os crentes e os não crentes; todos nós precisamos de proteção nesta hora. Esta bênção foi para toda a nossa cidade, para toda a nossa Arquidiocese, para todas as pessoas, pedindo a Jesus que, assim como Ele ressuscitou, também nos livre do poder deste vírus que pode nos levar à morte”, explicou Dom Gil. Em seguida, foi realizado breve momento de adoração eucarística no interior da Catedral.

Conteúdo Relacionado
X