Igreja no Mundo

O Papa Francisco despediu-se da República Democrática do Congo nesta sexta-feira (3). O avião decolou pouco antes das 10h50 (hora local, 5h50 em Brasília) em direção ao aeroporto de Juba, no Sudão do Sul, segunda etapa da viagem apostólica.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
“Uma peregrinação ecumênica de paz”: assim o Papa definiu, no Angelus do último domingo (29), sua 40ª Viagem Apostólica, que o leva à República Democrática do Congo e ao Sudão do Sul. Nesta 40ª viagem internacional, que se realiza até 5 de fevereiro, Francisco levará a estes dois países africanos a palavra de Deus, a esperança da paz e do diálogo.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Neste IV Domingo do Tempo Comum (29), na oração do Angelus, o Papa falou sobre as Bem-aventuranças segundo o Evangelho de Mateus. Francisco quis esclarecer “quem são os pobres em espírito”, explicando que são aqueles que sabem que não são suficientes por si mesmos, que não são autossuficientes e vivem como “mendigos de Deus”:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Foi apresentado o programa da viagem do Papa à República Democrática do Congo e ao Sudão do Sul, de 31 de janeiro a 5 de fevereiro. Esta será a 40ª viagem do pontificado, mas deveria ter sido a 37ª porque estava programada para julho de 2022. Problemas de saúde relacionados com seu joelho e terapia durante os meses anteriores forçaram o Papa a adiar a visita.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
A morte de Bento XVI, as críticas publicadas em livros recentes, a homossexualidade que “não é um crime”, a saúde “boa” apesar da idade, as relações com a China, o percurso sinodal alemão e o caso dos abusos do jesuíta Marko Rupnik.  São inúmeros os temas – de grande atualidade – que o Papa Francisco enfrenta numa nova entrevista divulgada nessa quarta-feira (25) pela agência de notícias estadunidense Associated Press (AP).
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
O Senhor está “irritado” com a violência e sofre assistindo a guerras e ações violentas empreendidas por quem se professa cristão, disse o Papa na homilia das Vésperas na festa da Conversão de São Paulo. Francisco se reuniu na Basílica Ostiense com lideranças cristãs para a tradicional conclusão da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SOUC).
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email