Nosso Padroeiro

O padroeiro da Arquidiocese de Juiz de Fora nasceu em Lisboa (Portugal), no ano de 1195, e foi batizado como Fernando. Ao ingressar na Ordem dos Franciscanos, trocou seu nome para Antônio. O sobrenome “de Pádua” relaciona‐se à cidade italiana onde ele viveu seus últimos anos e que
conserva até hoje suas relíquias.

Na região da Zona da Mata mineira, a devoção e o culto a Santo Antônio tem origem muito antiga, desde os primeiros povoadores. A fé e a devoção ao santo são uma herança portuguesa, pois ele é considerando milagroso para a localização de pertences perdidos e principalmente como protetor dos casais de namorados, sendo chamado de “casamenteiro”. Os historiadores acreditam que a ligação com o matrimônio teria surgido em virtude de sua festa ser comemorada no mês de junho, período de antigas celebrações da fertilidade no campo.

A primeira capela dedicada a Santo Antônio que se tem notícia nessa região teria surgido na primeira metade do século XVIII, construída pelo fazendeiro Antônio Vidal. Em 1850, a então Vila de Santo Antônio do Paraibuna de Juiz de Fora foi elevada à categoria de paróquia e sua capela tornou‐se matriz, no mesmo local onde se encontra hoje a Catedral Metropolitana.

Como símbolo do encerramento da primeira fase do Sínodo Arquidiocesano, a Arquidiocese de Juiz de Fora ganhou uma nova imagem de Santo Antônio. Medindo 1,5m, a artística peça sacra veio do Santuário de Santo Antônio, que fica em Pádua (Itália), onde foi abençoada pelo Superior da Ordem Franciscana local, diante do túmulo de Santo Antônio, antes de ser expedida para o Brasil.

A bela escultura em madeira foi apresentada aos fiéis no dia 23 de novembro de 2010, pelo arcebispo metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, durante missa na Catedral Metropolitana. Até o dia 13 de junho de 2011, peregrinou pelas 85 paróquias do território arquidiocesano, retornando à Catedral em uma grande festa, encerrando o I Sínodo Arquidiocesano.

Além de dar nome à sede religiosa da Arquidiocese e à primeira igreja da região e de ser o padroeiro de Juiz de Fora, Santo Antônio é homenageado em outras cinco paróquias de nossa Igreja Particular, localizadas nos municípios de Chiador, Ewbank da Câmara, Goianá, Olaria e Passa Vinte. A Quase-Paróquia localizada em Santo Antônio do Rio Grande, distrito de Bocaina de Minas, criada em 11 de junho de 2018, também é dedicada ao santo casamenteiro.

X