SOS Oração retorna as atividades no dia de Nossa Senhora das Dores (15)

0

Há cerca de 30 anos, Juiz de Fora conta com o trabalho do SOS Oração. Um grupo anônimo, ecumênico e voluntario, que retorna às atividades nesta terça-feira (15). Através do número telefônico (32) 3215-3194, realizam a escuta com misericórdia daqueles irmãos que telefonam, em busca de consolo e oração.

Segundo o pároco da Catedral, Padre José de Anchieta Moura Lima, o trabalho realizado pelo grupo é importante, não apenas para a igreja, como também para toda a sociedade. “Se trata de um grupo de leigas e leigos prestam um serviço amoroso àquelas pessoas que passam por situações de pânico, depressão, ansiedade pessoas, que precisam de uma palavra amiga, ou um ouvido amigo.”

O sacerdote destaca que o dia de retorno das atividades do grupo, após um período impossibilitado de se articular, devido a pandemia, é a data que a Igreja recorda Nossa Senhora das Dores – aquela que acompanhou o sofrimento de Jesus na Cruz, e que acompanha o sofrimento de todos que precisam.

“Rezemos para que o SOS Oração possa realmente trazer uma contribuição em tempos de pandemia – quando a nossa fé é provada, nossa esperança precisa ser recuperada e a nossa caridade precisa ser ampliada”, conclui Padre Anchieta com este apelo.

Mensagem do Papa sobre Prevenção do Suicídio

No Brasil, são registrados cerca de 12 mil casos de suicídio todos os anos. Trata-se de uma triste realidade, principalmente entre os jovens. Cerca de 96,8% do total está relacionado a transtornos mentais. Em primeiro lugar, está a depressão, seguida do transtorno bipolar e do abuso de substâncias. Com esses números, o suicídio encontra-se entre as três principais causas de morte em indivíduos com idade entre 15 e 29 anos no mundo.

O Papa Francisco várias vezes manifestou sua preocupação com este fenômeno, sobretudo entre os jovens. Para o Pontífice, o principal motivo é a falta de perspectiva: “Não conseguem sentir-se úteis. Outros jovens não têm a coragem de enfrentar o suicídio, mas procuram uma alienação intermediária nas dependências, e hoje a dependência é uma fuga desta falta de dignidade”.

Em seu Twitter, no Dia Mundial para a Prevenção do Suicídio, celebrado em 10 de setembro, o Santo Padre cita a pandemia e suas consequências. Recentemente, falou sobre o assunto e alertou para a prática da usura. “Quantas situações de usura somos obrigados a ver e quanto sofrimento e angústia existem nas famílias! E muitas vezes, no desespero, quantos homens acabam no suicídio porque não aguentam, não têm esperança, não têm uma mão estendida que os ajude, mas só uma mão que os obriga a pagar os juros. A usura é um pecado grave.”

*Com informações de Vatican News

Conteúdo Relacionado
X