Seminaristas se reúnem em retiro anual

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Terminou na última terça-feira (7), o Retiro Espiritual Anual dos seminaristas da Arquidiocese de Juiz de Fora. Ocorrido no Seminário Arquidiocesano Santo Antônio, sua programação foi composta de orações, meditações, celebrações e momentos de deserto, a partir do tema da vocação e o caminho de fé de Abraão.

Na ocasião, o Padre José Cisneiro Seabra Ramos, que é um dos diretores espirituais do Seminário, foi o pregador. Ele contou que o retiro aconteceu em um clima de simplicidade, de silêncio e de reflexão. Além disso, comentou sobre a importância do momento e seu papel. “O mais importante do retiro é a gente poder encontrar com Deus, ter essa experiência, porque de certa forma, os frutos do retiro são invisíveis, cada um depois vai percebendo na sua vida o que Deus vai colocando e o que Deus colocou durante o retiro. Na verdade, o pregador principal é o Espírito Santo. A gente anima, provoca, facilita algumas coisas no retiro; o pregador é um instrumento no retiro”.

Segundo o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, este é um momento muito importante, pois o retiro a aproximação prática de Cristo. “É uma parada para que o seminarista possa estar plenamente, em tempo integral, diante de Deus, diante de Cristo, recebendo as luzes do alto, meditando sobre a palavra, interiorizando a mensagem de Jesus Cristo no seu coração. Eles estudam o ano inteiro matérias relacionadas à fé, mas não basta estudar, é preciso ter a vida em Cristo”, esclareceu ele.

O reitor do Seminário, Monsenhor Luiz Carlos de Paula, também se mostrou bastante satisfeito, principalmente com as participações. “Faz parte da formação, uma das dimensões da formação é a espiritualidade e o retiro dá força para que os seminaristas possam continuar nesta caminhada rumo à ordenação”, explicou ele.

Para o Formador da Comunidade de Teologia, Padre José Domício Ferreira da Silva, o momento de próprio a uma “viagem para dentro”, para o interior. “É um momento de enriquecer a espiritualidade, buscar as energias, as forças, as graças de Deus, para continuar respondendo o ‘sim’ a essa vocação bonita, desafiadora que é ser padre nos tempos de hoje. Sobretudo, eles estão sendo treinados para colocar suas vidas a serviço dos mais pobres, necessitados”.

Estiveram presentes os estudantes do Propedêutico e dos cursos de Filosofia e Teologia, ao todo 27 seminaristas. Dentre eles, Wesley Vitor da Silva Souza, que está no Propedêutico e pela primeira vez participa de tal retiro. Em entrevista à Web Tv A Voz Católica, ele falou sobre como avalia o momento. “Uma grande oportunidade para se ver interiormente, refletir sobre a nossa vocação. O retiro é muito importante para revisitar o que nos trouxe até aqui, o que desenvolveu a nossa vocação”.

Gabriel Florenço Dias, aluno 1º ano de Teologia, recordou que o retiro anual sofreu adaptações por conta da pandemia. “A gente se encontra com tudo um pouco diferente, para poder meditar a respeito da fé e da caminhada de Abraão e também para inspirar e incentivar a nossa caminhada, a nossa saí de si para poder servir melhor a Deus no serviço aos irmãos na Santa Igreja”.

Fundado em 1926, o Seminário Arquidiocesano Santo Antônio acolhe os candidatos ao presbitério da Arquidiocese de Juiz de Fora e desenvolve com eles um projeto pedagógico de formação através das dimensões espiritual, comunitária, afetiva, intelectual e pastoral. Tradicionalmente, todos os anos a casa de formação realiza este retiro. O último ocorreu em fevereiro de 2020.

*Com informações de Web Tv A Voz Católica

Veja Também