Paróquia do Bandeirantes recebe Arcebispo para celebrar as vésperas da festa da Santa Cruz

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Na noite da última segunda-feira, dia 13 de setembro, o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, presidiu a Missa de encerramento do tríduo na paróquia que tem a Santa Cruz como titular, no bairro Bandeirantes, em Juiz de Fora.

A Eucaristia, que contou com número expressivo de fiéis e representantes de todas as comunidades paroquiais, foi concelebrada pelo Pároco local, Pe. Edimilson Luiz Ribeiro, SF e pelo Pe. Renato Ferreira da Silva, SF, Vigário Paroquial. O Diácono Carlos Henrique Rodrigues serviu ao Altar.

Iniciada no último sábado, a festividade teve como tema “Na cruz de Jesus está a nossa esperança”. Em vista disso, o sermão do Arcebispo refletiu sobre o significado da festa e rememorando que sem cruz não há ressurreição, nem salvação. “Hoje lembramos São João Crisóstomo. Ele associou seus sofrimentos, ao sofrimento de Cristo. O símbolo do sofrimento de Cristo é a cruz. Nós a veneramos, nós a respeitamos. Esse sofrimento não é em vão, é ligado a redenção.”

Ele ainda disse que celebrar tal festa significa assumir a cruz, assim como explicou Jesus: “Se alguém deseja seguir-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e me acompanhe” (Mt 16, 24). “A cruz nos ensina que em Cristo o sofrimento não é uma derrota, mas uma vitória. Recordemos a importância da oração, da humildade, estar perto de Cristo, seja nos momentos alegres, seja nos momentos difíceis”, pontuou Dom Gil.

Ao final da celebração, o Arcebispo aproveitou a oportunidade para falar sobre a nova fase do II Sínodo Arquidiocesano, que terá início no próximo mês, relacionando a reflexão sobre a Santa Cruz. “O momento é propício para refletirmos a Cruz do povo. Os sofrimentos causados pela pandemia, as pobrezas que surgiram por causa disso, doença, perda de antes queridos, celebramos, portanto, a Cruz de Cristo presente no meio do povo. É momento de reconhecer o sofrimento e fazer alguma coisa pelos nossos irmãos”. O despertar para a ação, para a solidariedade é um dos pontos de ação principais que a nova fase buscará abordar.

Veja Também