No Dia de São Bento, Dom Gil preside Eucaristia no Mosteiro Santa Cruz

Na manhã dessa terça-feira, 11 de julho, quando a Igreja celebrou a festa litúrgica de São Bento, o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, presidiu Celebração Eucarística no Mosteiro da Santa Cruz, pertencente às Monjas Beneditinas. A Missa foi concelebrada pelo Padre Alessandro de Melo, Pároco da Paróquia Santíssimo Redentor, e contou com a presença do Diácono Manoel Pedro da Silva Júnior.

Além das religiosas, estiveram presentes muitas pessoas que costumam frequentar o mosteiro e devotos do chamado “Pai dos Monges”. O local, segundo Dom Gil, funciona, numa (arqui)diocese, como um alicerce de uma casa. “As irmãs ficam aqui escondidas, mas na oração e na sintonia com a Igreja local. Isso é muito bonito. Elas dão a segurança, nos sustentam com a oração diária. Seguem o exemplo de São Bento, com o lema ‘ora et labora’: trabalham e rezam pela Igreja.”

O Arcebispo de Juiz de Fora lembrou que o Dia de São Bento é, para ele, especial, em razão de sua paróquia e de sua cidade de origem, Itapecerica (MG), serem dedicadas ao santo. “Desde criança convivi com a espiritualidade beneditina. Agradeço a Deus a existência do mosteiro e também de ter conhecido, desde a tenra idade, a vida desse grande santo que marca a história da Igreja.”

O Pastor Arquidiocesano explicou o motivo de muitas pessoas recorrerem ao santo padroeiro da Europa para se livrarem do mal. “São Bento foi muito perseguido. Por duas vezes tentaram envenená-lo. Então, diante dessa proteção de Deus para que não fosse envenenado, ele é invocado como padroeiro contra todos os venenos: os venenos morais e espirituais que possam haver na vida das pessoas.”

Ao final da Missa, Dom Gil abençoou as medalhas de São Bento e outros objetos devocionais. “A medalha de São Bento é um sinal, um símbolo, dessa proteção. Quem a usa com fé e pratica a palavra de Deus, obtém da parte de Deus essa proteção.”

Clique aqui e confira mais fotos da Missa no Mosteiro da Santa Cruz.

Veja Também