Missa em ação de graças lembra aniversário de nascimento e de canonização de São Luís Orione

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A Igreja recorda, durante todo o ano de 2022, os 150 anos de nascimento e os 18 anos da canonização de São Luís Orione, sacerdote que viveu como um grande apóstolo da caridade. O santo fundou a Pequena Obra da Divina Providência, família religiosa que está presente na Arquidiocese de Juiz de Fora. Ele também foi o fundador das Irmãs Missionárias da Caridade, das Irmãs Sacramentinas e dos Eremitas de Santo Alberto.

*Relíquia de São Luís Orione

Por ocasião desta comemoração, o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, presidiu, no dia 16 de maio, Missa em ação de graças no Instituto Profissional Dom Orione, conduzido pelos sacerdotes orionitas. No local, funciona a casa de formação dos vocacionados e um projeto social. A Eucaristia foi concelebrada pelo Reitor do Instituto Filosófico Pe. Renato Scano, Padre Anderson Monteiro de Resende, PODP, pelo Diretor-Presidente da Comunidade Orionita juiz-forana, Padre Jarbas Assunção Serpa, PODP, pelo Vigário Geral da Arquidiocese e Reitor do Seminário Santo Antônio, Monsenhor Luiz Carlos de Paula, além de outros padres formadores do Seminário Arquidiocesano (onde os clérigos orionitas cursam Filosofia). Também concelebraram o Reitor do Seminário São Tiago, da Diocese de São João del-Rei, Padre Javé Domingos, e o Formador do Pré-Noviciado da Congregação do Santíssimo Sacramento, Padre Elissandro Santos de Santana, sss.

“São Luís Orione foi um homem de Deus no verdadeiro sentido da palavra. Um homem que tinha o coração todo voltado para o Alto, de oração, de penitência; tinha um grande amor à Igreja, ao papa, aos pobres. A vida dele se adapta muito bem ao evangelho de São Mateus, capítulo 25. Um homem que só viveu para servir e servir aos pequeninos”, lembrou Dom Gil Antônio Moreira.

Segundo Padre Anderson, São Luís Orione é conhecido na Igreja como o apóstolo da caridade e o pai dos pobres. “Ele, que nasceu em 1872 e morreu em 1940, começou muito jovem a fundação de sua congregação, de modo especial para os necessitados. O seu carisma, expresso em obras de caridade, é todo cristocêntrico e eclesiástico: levar tudo, todas as pessoas, de modo especial as almas dos pobres, à Igreja, ao Papa, que é o Vigário de Cristo na Terra.”

Esse carisma é colocado em prática através das obras realizadas pela Pequena Obra da Divina Providência, como os pequenos cotolengos, as escolas, as casas de caridade, os orfanatos. Em Juiz de Fora, o Instituto Dom Orione atende a cerca de 60 crianças do Bairro Dom Bosco no contraturno escolar. No local são oferecidas atividades lúdicas, de reforço escolar e esportivas. “Em suas obras de caridade, não se pergunta religião, cor, condição social; se a pessoa tem uma dor, os orionitas devem acolhê-la”, pontuou Padre Jarbas.

Por fim, Dom Gil recordou que São Luís Orione passou pela Igreja juiz-forana. “Na Arquidiocese de Juiz de Fora nós temos um grande amor a Dom Orione. Por aqui ele esteve pessoalmente na década de 1920: viveu seis meses no município de Mar de Espanha. Deixou os rastros de luz e santidade na nossa Igreja diocesana.”

Clique aqui e confira mais fotos da Missa.

Veja Também