Fixemos em Maria nosso olhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

O Papa Francisco encerrando a sua Exortação Apostólica “Evangelii Gaudium” aponta-nos, mais uma vez, a Mãe de Jesus, Maria Santíssima, como anúncio, realização e modelo da missão evangelizadora da Igreja. Somente nela e com ela poderemos testemunhar na história a autêntica e genuína libertação realizada por Jesus.

A “excepcional peregrinação de fé” (EG 287) realizada por Maria de Nazaré ilumina o caminho missionário da Igreja de muitas formas diversas e complementares. Deste modo, podemos colher de sua vida e missão todos os elementos essenciais ao caminho missionário da Igreja.

Assim como na vida de Maria, a missão da Igreja é determinada e conduzida em todos os seus momentos pela viva ação do Espírito Santo.

Assim como na vida de Maria, a missão da Igreja concretiza-se no serviço diário ao povo de Deus, a começar pelos que agora mais carecem de amor, assistência e cuidados.

Assim como na vida de Maria, a missão da Igreja carrega a eficaz e transformadora fecundidade do Pai, gerando vida, alegria e comunhão por onde semeia o Reino de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Da mesma forma como se deu na vida de Maria, a Igreja reconhece nos muitos momentos de silêncio, provação e calvários como oportunidades da graça para crescer na intimidade com o Pai. Não devemos nos assustar ou desanimar diante das muitas missões silenciosas. Fixemos nosso olhar em Maria e prossigamos no itinerário da fé.

Renovemos, então, neste mês missionário e mês do rosário de Maria nossa filial fidelidade ao modelo mariano de missão. A missão da Igreja testemunhe a revolução de Maria feita de ternura e de afeto. A missão da Igreja saiba identificar a presença da graça em todos os acontecimentos e permitir que, vivendo a intimidade com o Pai, todos os fatos “ponderados no coração” gerem a maturidade martirial da fé. A missão da Igreja seja, por fim, orante, a semelhança da vida silenciosa de Maria em Nazaré. E tenha, igualmente, a prontidão de Maria, que vai “apressadamente” à casa de Isabel (Lc 1,39) e que está de pé junto a cruz de seu Filho (Jo 19,25).

Rezemos como o Papa Francisco (EG 288): “Maria, ajude-nos, com a sua oração materna, para que a Igreja se torne uma casa para muitos; uma mãe para todos os povos; e torne possível o nascimento de um mundo novo, assim como o Ressuscitado nos garante: EU RENOVO TODAS AS COISAS” (Ap 21,5).

Dom Gil Antônio Moreira
Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora

Veja Também