Fiéis celebram o Padroeiro São João Nepomuceno

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

No último domingo, os católicos são-joanenses vivenciaram dias de muita oração, fé e devoção em homenagem a São João Nepomuceno, padroeiro do município de mesmo nome.

Para homenagear o Santo, conhecido como mártir do segredo da confissão, cujo dia é celebrado em 16 de maio, data de seu martírio, a Paróquia São João Nepomuceno preparou uma programação especial, que se encerrou neste domingo, com a realização de missas festivas, celebradas pelos Padres Cláudio Machado e Nei Ângelo Furtado Moura, e uma celebração da palavra pelo Diácono Alex Francisco.

Além das Celebrações Eucarísticas e da Palavra, também houve manhã de bênçãos dos veículos, motoristas e passageiros pelo Diácono Alex Francisco, com participação do Seminarista Gláucio Antônio, ao lado da Igreja Matriz.

As festividades em honra ao Padroeiro tiveram início no dia 07 de maio, com a novena, que teve como tema “Com a Bem-Aventurada Virgem Maria rumo aos 300 anos de Beatificação de São João Nepomuceno” e Lema “É preciso obedecer antes a Deus do que aos homens” (At 5,29).

Os nove dias de oração contaram, além da presença dos fiéis, observados sempre os protocolos de segurança, com a participação de integrantes do Conselho Paroquial de Pastoral, Catequese e Crisma, Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão Eucarística, Legião de Maria, Pastoral da Criança, Sociedade São Vicente de Paulo, Grupo Mães que Oram pelos Filhos, Pastoral da Saúde e Apostolado da Oração.

Fotos: Pascom da Paróquia São João Nepomuceno

Colocando em prática o Mandamento de Deus, que ensina o cristão a amar o seu próximo como a ti mesmo, a cada dia do novenário foi proposto aos fiéis um gesto concreto com a doação de gêneros alimentícios e artigos de limpeza e higiene pessoal, que, posteriormente, serão entregues às famílias em situação de vulnerabilidade social.

Nascido em Nepomuk, na República Tcheca, São João Nepomuceno é considerado mártir da confissão, por ter preferido entregar a própria vida nas mãos do cruel rei Venceslau IV a revelar o que lhe fora confidenciado pela rainha Joana no confessionário.

*Colaboração: Adriana de Freitas, Pascom SJN

Veja Também