Bispos do Brasil em Assembleia

0

Desde o dia 30 de abril até 9 de maio, os bispos católicos do Brasil estão em Assembleia Geral. O evento se realiza em Aparecida-SP, com sessões de manhã e à tarde, além de reuniões de grupos específicos em algumas noites. As celebrações diárias no Santuário Nacional da Padroeira do País, transmitidas pelas TVS católicas, tem sido excelente oportunidade para que todos os fiéis possam participar deste importante momento eclesial, através da liturgia, além da oração pessoal ou comunitária que fazem de suas casas. Muitos romeiros se unem presencialmente a seus pastores, numa grande comunhão eclesial durante os dias das reuniões em Aparecida.

A Assembleia se realiza todos os anos na semana posterior ao segundo domingo da Páscoa, sendo a atual a 52ª edição. Os bispos são assessorados por teólogos, pastoralistas, canonistas e outros peritos que são solicitados quando necessário. Uma rede de funcionários e voluntários também presta serviços a este verdadeiro congresso episcopal que reúne cerca de 350 bispos diocesanos. Os bispos eméritos são também convidados, embora não façam parte da Conferência com os direitos que cabem aos que estão em atividade nas dioceses. São acolhidos como bons irmãos, sobretudo para uma das missas celebradas com eles e por intenção deles. As liturgias variam seus temas contemplando, além dos eméritos, os falecidos, os recém-nomeados, os negros, a Igreja na Amazônia e outros grupos. Há uma celebração ecumênica com participação de representantes de igrejas ou grupos não católicos que são muito simpaticamente acolhidos entre os membros da Assembleia e colaboram para o caminho de unidade eclesial desejada por Jesus.

A presença do Senhor Núncio Apostólico representa um belo instrumento de comunhão com o Santo Padre o Papa, e funciona como uma excelente oportunidade de audiências pessoais, para solução de questões diocesanas.

Um dia da Assembleia é reservado para Retiro Espiritual, sempre orientado por um pregador convidado pela CNBB, após escolha da Presidência na lista das sugestões apresentadas pelos bispos. Este dia é muito apreciado pelos participantes da Assembleia e traduz um momento de grande profundidade espiritual na busca da santidade. A Assembleia sem o Retiro Espiritual seria muito empobrecida.

Durante os dez dias de encontro, os bispos estudam temas pastorais que ajudem a evangelização e demais atividades da Igreja nas dioceses, o que tem contribuído, em geral, para uma grande unidade pastoral no Brasil e um crescimento na união e fidelidade ao Santo Padre, Sucessor de Pedro, sobretudo nos últimos anos. Nesta presente assembleia, discute-se, como tema central, a vida nas paróquias, com o fim de publicar documento com o título COMUNIDADE DE COMUNIDADES: UMA NOVA PARÓQUIA- A CONVERSÃO PASTORAL DA PARÓQUIA. Procura-se com isso, além de prosseguir o estudo do tema de anos passados, atender aos apelos do Papa Francisco na sua Exortação Apostólica Evangelii Gaudium que propõe uma grande reforma nos meios e métodos de evangelização e de vivência eclesial em geral. Muitos outros subtemas são estudados, discutidos, aprovados ou não em plenário. Entre os temas para este ano, como no ano passado e no próximo ano, destaca-se a comemoração dos 50 anos do Concilio Ecumênico Vaticano II, de cuja comissão tenho a honra e alegria de participar.

Porém a Conferência Episcopal não é um órgão de poder, mas de assessoria pastoral e de fraternidade colegial. Cada Diocese é livre de aplicar o que foi decidido ou não. No Brasil, geralmente todas as decisões são acolhidas pelas Igrejas particulares fraternalmente.

Convido a todos para que estejam unidos espiritualmente a nós na busca de uma Igreja sempre mais viva, mais feliz, mais alegre e mais comprometida com a causa da dignidade da pessoa humana, na busca da construção do Reino de Deus entre nós, na esperança segura do Reino definitivo na eternidade.

Dom Gil Antônio Moreira
Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora

Conteúdo Relacionado
X