Igreja Particular de Juiz de Fora encerra II Sínodo Arquidiocesano

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

No último domingo, 20 de novembro, Solenidade de Cristo Rei do Universo, a Arquidiocese de Juiz de Fora encerrou seu II Sínodo. Numa cerimônia memorável, presidida por Dom Gil Antônio Moreira e concelebrada por dezenas de padres, o Arcebispo anunciou a reforma pastoral, nomeando sacerdotes, diáconos e leigos(as) para novas funções.

Na ocasião, os seminaristas Jadai Leandro Alves e Milton César de Assis foram instituídos nos ministérios de Acólito e Leitor. A Missa Solene, abrilhantada pela presença do Coral Benedictus, foi acompanhada por milhares de pessoas, presencialmente e virtualmente.

II Sínodo Arquidiocesano chega ao fim

Depois de três anos de uma intensa programação, a Missa Solene do domingo (20) marcou o fim do II Sínodo Arquidiocesano, cujo início litúrgico se deu em 28 de outubro de 2019 e a abertura oficial dos trabalhos, em 7 de dezembro daquele ano. Cerca de três meses depois, a pandemia da Covid-19 mudou o planejamento da Comissão Ampliada, que precisou lançar mão dos meios virtuais para dar continuidade aos seus projetos.

O Arcebispo de Juiz de Fora, Dom Gil, avaliou o caminho feito durante esse tempo. “Foram três anos de trabalhos intensos, de muitas promoções, para incrementar o trabalho evangelizador em nossa Igreja, despertar o sentido missionário da Igreja, reorganizar a nossa Pastoral, dar uma atenção especial aos pobres, aos pequenos, sobretudo àqueles que sofreram mais com a pandemia. E por isso nós podemos hoje levantar ações de graças a Deus.”

De acordo com o Secretário do II Sínodo, Padre Vanderlei Santos de Sousa, CSsR, foi um período de escuta e reflexão. “Nós começamos com a escuta das paróquias a partir do questionário que foi encaminhado, onde os padres, administradores paroquiais, coordenadores de pastoral e missionários sinodais puderam responder a algumas questões que foram, depois, compiladas estatisticamente. A partir desta compilação, nós fizemos estudos para pensarmos quais as respostas que a Igreja pode dar aos apelos que têm surgido. A celebração de hoje conclui esse processo, então, de envio dos questionários, escuta, reunião, conclusão e projeção dos passos a serem dados.”

*Dom Gil agradeceu Padre Everaldo pelos trabalhos feitos nos últimos anos, como Secretário-Executivo de Pastoral

O Padre Everaldo José Sales Borges, que durante o II Sínodo exercia a função de Secretário-Executivo da Pastoral Arquidiocesana, recorda que está andamento a produção do Documento Sinodal. “Nós fizemos o que foi possível, e graças a Deus foi possível fazer muita coisa. Ouvimos e falamos com muitas pessoas, e agora, nessa celebração de encerramento, abre-se o tempo para a elaboração do documento que é fruto daquilo que as pessoas viram, ouviram, falaram, opinaram, para a gente constituir de maneira melhor o caminho da nossa Pastoral e fazer da nossa Igreja de Juiz de fora uma Igreja mais solidária, mais organizada, com uma efetividade de trabalho pastoral e caritativo.”

O Documento Sinodal está sendo produzido por uma Comissão de Redação, a partir da leitura dos relatórios finais dos questionários respondidos pelo Clero e por leigos e das assembleias sinodais. A previsão é de ele que seja lançado em 5 de fevereiro de 2023, outra data importante no calendário arquidiocesano. “Entramos agora numa fase nova da Arquidiocese, com uma caminhada de entusiasmo e de preparação da celebração do Centenário diocesano, que será no ano de 2024. A partir do dia 5 de fevereiro, nós vamos ter a abertura do ano jubilar, iniciando o Ano Mariano, dedicando a nossa Província Eclesiástica à Nossa Senhora Mãe da Igreja”, lembra Dom Gil Antônio Moreira.

Nomeações

*Coordenação Sinodal da Ação Evangelizadora

Como um dos focos do II Sínodo Arquidiocesano foi a reestruturação pastoral, ao final da Celebração Eucarística, o Arcebispo de Juiz de Fora anunciou uma série de mudanças. A primeira delas foi a extinção do cargo de Secretário de Pastoral e a criação de uma Coordenação Sinodal da Ação Evangelizadora. O grupo será coordenado pelo Padre Geraldo Doncidi Vieira.

Dom Gil também comunicou a criação de dois novos Vicariatos: o da Juventude e o da Educação e Cultura, tendo este se desvinculado do agora Vicariato para a Comunicação. Os novos Vigários Episcopais são, respectivamente, os padres Ivair Carolino e Everaldo José Sales Borges. À frente dos vicariatos para Vida e Família, Caridade e Comunicação, permanecem os padres Laureandro Lima da Silva, Geraldo Dondici Vieira e Antônio Camilo de Paiva.

Também foram oficializadas as duas novas diaconias da Igreja Particular juiz-forana: as diaconias “Dai-lhes vós mesmos de comer” e “Vinde a mim os pequeninos” unem-se às diaconias Hospitalar e dos Enfermos, da Esperança e Carcerária. Por fim, Dom Gil divulgou os nomes dos doze novos vigários forâneos. Clique aqui e confira a lista.

Mensagem para Conclusão do II Sínodo Arquidiocesano

Durante sua homilia, o Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora leu a Mensagem para Conclusão do II Sínodo Arquidiocesano de Juiz de Fora, com o auxílio dos padres Vanderlei e Dondici. No texto, Dom Gil recordou a pandemia, que marcou grande parte da caminhada sinodal. “Fomos muitas vezes impedidos de nos encontrar fisicamente, mas Deus, que sempre nos precede, nos abriu possibilidades técnicas para continuar celebrando o Sínodo com orações, liturgias, reuniões e atividades através de meios virtuais na internet. Experimentamos em tudo isso que era o Santo Espírito a nos levar de modo novo por outros caminhos da evangelização”.

O texto ainda aponta que, durante a celebração do II Sínodo, foi aprofundado no coração da Arquidiocese de Juiz de Fora o seguimento missionário aos passos de Jesus e de Maria. “A primeiríssima palavra que emerge neste momento é que a Igreja de Juiz de Fora será ainda mais uma Igreja em estado constante de missão. Estaremos sempre indo, saindo, partindo de nós mesmos para fazer ecoar o Evangelho de Jesus no íntimo de todas as casas e, a tal ponto, que o testemunho gritará dos telhados e das grandes antenas de comunicação”.

A mensagem de conclusão destaca quatro frentes de serviço e missão que deverão ser reassumidas: solidariedade, caridade, conversão pastoral e participação e comunhão nos serviços administrativos. “O II Sínodo da Igreja de Juiz de Fora tem compreendido a inspiração divina da solidariedade como a firme decisão da Igreja de fazer-se próxima e presente, especial e firmemente, na vida das crianças, adolescentes, jovens e pessoas idosas”, diz o documento, distribuído a todos os presentes na Catedral.

Clique aqui e confira o texto na íntegra.

Instituição nos ministérios de Acólito e Leitor

Durante a Celebração Eucarística, os seminaristas Jadai Leandro Alves e Milton César de Assis foram instituídos nos ministérios de Acólito e Leitor. Este é o primeiro passo dos jovens rumo ao sacerdócio, precedendo as ordenações diaconal – prevista para acontecer em 5 de fevereiro – e presbiteral.

“Os ministérios de leitor e acólito nos aproximam, por meio da palavra e do serviço litúrgico do altar, cada vez mais de Deus. A expectativa é que eu possa, cada vez mais, estar correspondendo ao chamado que o Senhor fez na minha vida, na minha história”, revelou Jadai Leandro.

Milton César falou do fato de o rito ter acontecido durante a celebração arquidiocesana. “Um momento muito especial, que nós temos a alegria de celebrar com tantas pessoas, os nossos familiares, os nossos amigos, tantas pessoas especiais que nos acompanharam nestes quase nove anos de preparação no Seminário Santo Antônio. Então, hoje é, acima de tudo, um dia de render graças a Deus, que um dia nos chamou, que um dia confiou a nós estes ministérios.”

O Pároco da Paróquia Bom Jesus do Matozinhos, em Bom Jardim de Minas (MG) – onde o seminarista Jadai faz a Pastoral -, Padre José Maria Vieira Novaes, relacionou a caminhada sinodal da Arquidiocese de Juiz de Fora e o surgimento de novas vocações. “Desde o I Sínodo até agora, no segundo, a nossa Igreja de Juiz de Fora cresceu muito, tanto no âmbito pastoral, como em outros âmbitos. Isso favorece para que a nossa Igreja dê mais passos rumo a um bom trabalho. Nós temos um espelho que está no nosso Seminário, que também é reflexo do Sínodo Arquidiocesano, formando os novos pastores da nossa Igreja.”

No mesmo sentido, o Administrador Paroquial da Paróquia Nossa Senhora de Fátima do bairro homônimo, em Juiz de Fora – onde Milton desempenha o trabalho pastoral -, Padre Jorge Luis Duarte, fez uma prece. “A gente pede a Deus, a Santo Antônio, que, através desses dois testemunhos, o Senhor inspire muitas vocações para a nossa Igreja. Hoje estamos abrindo o Ano Vocacional em todo o Brasil. Será um ano de muita alegria, e que muitas pessoas se sintam chamadas ao serviço da Igreja, ao trabalho.”

Clique aqui e confira todas as fotos da Missa de encerramento do II Sínodo Arquidiocesano.

Acesse a lista de pastorais, movimentos e grupos de serviços, com os nomes de seus respectivos responsáveis.

Veja Também