Arquidiocese de Juiz de Fora apresenta a CF 2024 à imprensa local

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

No primeiro dia da quaresma, dia 14 de fevereiro, a Campanha da Fratenidade (CF) deste ano foi apresentada para os veículos de comunicação de Juiz de Fora, através de uma coletiva de imprensa, no Seminário Arquidiocesano Santo Antônio. Na ocasião, o tema foi abordado pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, pelo Vigário Episcopal para Comunicação, Padre Antônio Camilo de Paiva, e pela Auxiliar da Coordenação Sinodal da Ação Evangelizadora, Teresa Cristina Coelho Pires.

Realizado anualmente na Arquidiocese de Juiz de Fora, o momento tradicional tem como objetivo proporcionar maior compreensão sobre a campanha para que seja melhor divulgada e chegue ao conhecimento do maior número de pessoas, pois a campanha não é feita só para os cristãos.

“O que nós queremos é que o mundo seja mais amigo, mais fraterno”, afirmou Dom Gil.

Inspirada na Encíclica do Papa Francisco Fratelli Tutti, a campanha de 2024 chega a sua 60ª edição com o tema “Fraternidade e Amizade Social” e o lema “Vós sois todos irmãos e irmãs” (Mt 23, 8). Ela é realizada pela Igreja no Brasil, que escolhe uma temática que ajude as comunidades e toda a sociedade civil a ampliar sua reflexão sobre a temática em questão. É aberta nacionalmente no primeiro dia da Quaresma, no entanto, se estende ao longo do ano.

 

O que é Amizade Social?

Neste ano, o assunto proposto encaminha para o diálogo entre as pessoas, favorecendo a “cultura do encontro”. “O que nós queremos é que o mundo seja mais amigo, mais fraterno. Haja mais diálogo, menos discussões, menos polarizações, menos guerra”, afirmou o Arcebispo.

Para o Santo Padre, amizade social é amor que ultrapassa as barreiras, uma fraternidade aberta. Francisco, na carta Encíclica Fratelli Tutti, exemplifica o que entende por amizade social: relações internacionais livres, unidade das nações, necessidade de agir e sonhar coletivamente, com visão solidária e abertura aos interesses de todos e que os poderes econômicos estejam voltados ao bem comum (cf.FT,n.13-14).

“A amizade social é um ato de inteligência, de sabedoria, portanto quem busca amizade busca tolerância. O efeito disso tudo é a felicidade não só sua, mas daqueles que estão ao seu redor”. disse Padre Camilo.

Durante a explanação do tema ficou claro que a Igreja propõe, através da CF, criar unidade na pluralidade, gerar um ambiente novo, em que as pessoas acreditem em bons relacionamentos. Seguindo a linha de pensamento do Papa Francisco, busca “despertar para o valor e a beleza da fraternidade humana, promovendo e fortalecendo os vínculos da amizade social, para que, em Jesus Cristo, a paz seja realidade entre todas as pessoas e povos”, como aponta o Texto-Base da Campanha.

Também foi recordada a importância do assunto no contexto brasileiro, já que se aproxima o tempo de eleições municipais. [A campanha] ajuda as pessoas a entenderem de gente, inclusive aqueles que são candidatos. As pessoas não são iguais, elas pensam diferente e dentro de um debate político civilizado, a partir daquilo que é a amizade social, é capaz que o diferente possa dizer algo que possa incrementar o meu projeto, então o outro nunca vai estar excluído. Assim sendo, agindo por aí, poderá ser o momento de integração, de aprendizado”, comentou o Vigário Episcopal para a Comunicação.

Proposta prática

Teresa Cristina explicou a proposta feita, com exemplos. “Todos somos irmãos, então, temos que buscar essa unidade entre nós, olhar buscando o positivo do outro e não o negativo. Esse período nos ajuda muito nisso, a concretizar, de uma forma muito simples, ser amável. [Por exemplo,] Cumprimentar o vizinho, aquela pessoa que você acha tão fofoqueira: cumprimenta, dá bom dia, procura conhecer aquela pessoa. Às vezes a gente vai se surpreender com a beleza que é aquela pessoa e a gente às vezes julga”, esclareceu ela.

O Arcebispo foi além, afirmando que cada cristão deve assumir a campanha “como uma responsabilidade de vida” e orientou sobre como fazer na prática. “O esforço de cada um é muito importante, que cada um cuide do outro como seu verdadeiro irmão. O Papa Francisco escreveu 15 passos que as pessoas podem utilizar, para viver bem a amizade social. Coisas muito simples, por exemplo, tratar um outro sempre com um sorriso, cumprimentar todo dia, agradecer mesmo se a gente não tem obrigação de agradecer; são coisas pequenas, mas que fazem a diferença”, disse Dom Gil.

A CF na Arquidiocese de Juiz de Fora

Lançada oficialmente na noite da última quarta-feira, na Catedral Metropolitana, em celebração presidida pelo Arcebispo Metropolitano, a CF 2024 será o tema da 15ª Via-Sacra Jovem. O evento está marcado para o dia 25 de fevereiro, a partir das 8h, na Igreja Nossa Senhora de Fátima, na Cidade Alta, de onde sairá um grande cortejo em direção ao Morro do Cristo.

Além disso, a temática será abordada nas paróquias através de formações, na catequese, nas vias-sacras.

Veja Também