“Tudo é ação da misericórdia de Deus em nosso favor”, afirma Dom Gil no 2º Domingo da Páscoa

*Foto: Elias Arruda
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A Igreja celebrou, no último domingo (11), a Festa da Divina Misericórdia. Este dia, instituído no calendário litúrgico da Igreja por São João Paulo II, em 30 de abril de 2000, foi recordado durante Celebração Eucarística na Catedral de Juiz de Fora, presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira.

Durante entrevista, o Pastor lembrou que, no evangelho do Segundo Domingo da Páscoa, Cristo institui o Sacramento da Confissão. “Misericórdia de Cristo que morreu por nós, ressuscitou, procura os apóstolos, dá a eles o poder de perdoar pecados. Jesus é misericordioso também com Tomé, que não acredita; Jesus o ressuscita espiritualmente da sua incredulidade e ele reconhece que Jesus é Deus. Tudo é obra de misericórdia, tudo é ação da misericórdia de Deus em nosso favor”.

Dom Gil também explicou o sentido do famoso quadro divulgado após as experiências místicas de Santa Faustina. “Partem dois raios de seu coração aberto: os raios brancos simbolizando a água, os raios vermelhos simbolizando sangue. Portanto, o Batismo e a Eucaristia”. Além disso, o Arcebispo apontou que a data indica uma postura a todos os cristãos. “Este é um domingo de receber a misericórdia de Deus e de assumir também o nosso dever de sermos misericordiosos uns com os outros”.

A Missa das 10h, presidida por Dom Gil, foi concelebrada pelo Administrador da Catedral, Padre José de Anchieta Moura Lima, e contou com a presença dos diáconos permanentes Antônio Valentino da Silva Neto e Waldeci Rodrigues da Silva.

Veja Também