“Sejamos capazes de construir um mundo livre do tráfico humano”, convida Dom Walmor

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A Igreja celebra, neste 8 de fevereiro, a memória litúrgica de Santa Josefina Bakhita e o Dia Mundial de Oração e Enfrentamento ao Tráfico Humano. Para a data, foi escolhido o tema “A Força do Cuidado: Mulheres, Economia, Tráfico de Pessoas”. O arcebispo de Belo Horizonte (MG) e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, fez um convite para a participação na iniciativa.

Dom Walmor faz um alerta ao número de vítimas do tráfico de pessoas, principalmente mulheres e crianças, as ameaçadas deste crime. Situando que a humanidade “padece com o modelo de desenvolvimento que desconsidera o trabalho e a dignidade humana submetendo tudo a uma busca egoísta pelo lucro”, o presidente da CNBB afirmou que “não podemos ficar indiferentes”.

“A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a partir de sua Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfrentamento do Tráfico Humano, faz uma especial convocação. No dia 8 de fevereiro, vamos viver o Dia Mundial de Oração e Reflexão contra o tráfico de pessoas. Rezemos juntos, solidários, para que a fé inspire a nossa cidadania e sejamos capazes de construir um mundo livre do tráfico humano, mais justo, solidário e fraterno”.

Ele também agradeceu “aos evangelizadores e agentes da Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfrentamento do Tráfico Humano de nossa CNBB, a cada pessoa que se dedica à promoção do Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico Humano”.

Mulheres como principais vítimas

 Segundo o Relatório Global do (UNODC) de 2020 sobre Tráfico de Pessoas, as mulheres representam 72% das vítimas. Elas são as mais suscetíveis a exploração de trabalho precário e abusos. No Brasil, com a pandemia da Covid-19, a violência doméstica, a insegurança alimentar e o índice elevado de desemprego, contribuem para o aumento do Tráfico Humano.

Em razão do tema ser pouco discutido e até mesmo a dificuldade em reconhecer que seres humanos é uma “mercadoria” de interesses, a Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfretamento ao Tráfico Humano (CEPEETH), vinculado a CNBB, em parceria com a Rede Internacional de Vida Consagrada Talitha Kum, realizarão dia 08 de fevereiro, o Dia Mundial de Oração e Reflexão Contra o Tráfico de Pessoas.

Santa Bakhita “nos mostra o caminho para a transformação”

Em videomensagem para o dia, o Papa Francisco recorda Santa Josefina Bakhita que “nos mostra o caminho para a transformação”. “A sua vida nos diz que a mudança é possível quando nos deixamos transformar pelo cuidado que Deus tem por cada um de nós. É o cuidado da misericórdia, é o cuidado do amor que nos transforma profundamente e nos torna capazes de acolher os outros como irmãos e irmãs”.

Segundo o Papa, “reconhecer a dignidade de cada pessoa é o primeiro ato de cuidado! Reconhecer a dignidade. E cuidar faz bem a todos, a quem dá e a quem recebe, porque não é uma ação unidirecional, mas gera reciprocidade.

O Papa incentiva a todos a avançar “na luta contra o tráfico de pessoas e toda forma de escravidão e exploração”. “Convido todos a manterem viva a indignação – manter viva a indignação! “, disse ele, “e todos os dias encontrar forças para se comprometer com determinação nesta frente. Não tenham medo diante da arrogância da violência. Não se rendam à corrupção do dinheiro e do poder”.

*Fonte: Site da CNBB

Veja Também