Santuário São Judas encerra festa do padroeiro com celebração presidida pelo Dom Gil

0

Na noite da última quarta-feira (28), Dom Gil Antônio Moreira, Arcebispo Metropolitano, presidiu a Missa de Encerramento da festa de São Judas, no Santuário dedicado ao padroeiro das causas impossíveis, no bairro Furtado de Menezes.

Ao longo de todo o dia ocorreram oito celebrações e dezenas de fiéis passaram pelo local, para demonstrar sua devoção. Padre Laureandro Lima, pároco local, fez uma avaliação positiva. “Foi um momento de alegria que nos fortaleceu. A festa foi marcada por esse desafio mas tivemos grandes frutos.”

Em entrevista, o Padre Laureandro explicou que a novena de São Judas também recebeu muitos fiéis, sendo realizada em dois horários todos os dias e falou da satisfação em receber os fiéis. “Tivemos a oportunidade de acolher as pessoas e, sempre seguindo as recomendações, destaco que o dia foi muito bonito. As pessoas que passaram por aqui tiveram a oportunidade de fazer a sua oração, entregar os seus pedidos.”

Para Alexsandra Clementine, catequista na paróquia e devota de São Judas, a oportunidade de estar no Santuário servindo é mais especial este ano, pois, durante alguns meses, as missas presenciais estiveram suspensas devido a Covid-19. “É um sentimento de gratidão. Todos anos estou aqui, já alcancei muitas graças. A gente pede, recebe e agradece. Espero estar aqui no próximo ano. Se Deus quiser, São Judas vai me dar essa graça de novo.”

Durante a celebração Dom Gil explicou sobre a origem da devoção. “São Judas é devocionado no mundo inteiro, sobretudo no Brasil. As pessoas têm muita devoção por causa da característica que foi criando entre o povo, que ele possa atender causas desesperadas, que pareçam impossíveis. A devoção nasceu porque o outro Judas se perdeu. Seu nome foi esquecido por seu o mesmo do que o outro. Mas houve quem o recordasse, justamente para dizer que ele não traiu, foi um discípulo fiel. ”

Benção com as relíquias de São Judas

No entanto, o Arcebispo lembrou que o próprio Deus é quem nos ensina que nada é impossível para Ele. “Deus manda a gente crer nessa verdade e, então, quando a gente procura a Deus com confiança, através de um santo, podemos alcançar até coisas que achamos ser impossíveis.”

Na ocasião, o Pastor também destacou a alegria de nossa Arquidiocese em receber a notícias do reconhecimento do martírio de Isabel Cristina Campos, assassinada em Juiz de Fora em 1982. Na última terça-feira, 27 de outubro, o Papa Francisco autorizou a Congregação para as Causas dos Santos a promulgar o decreto que reconhece o martírio da Serva de Deus Isabel Cristina Mrad Campos. Dom Gil contou história de Isabel e ele convidou a todos a renderem graças ações de graças pela confirmação papal.

Ao final da Missa, Padre Laureandro agradeceu a Deus e a todos que estiveram envolvidos direta ou indiretamente dos dez dias de festa. Em agradecimento a presença de Dom Gil a comunidade deu uma lembrança a ele.

É possível conferir as fotos desta celebração no nosso Facebook.

Conteúdo Relacionado
X