Santa Missa recorda 11 anos do falecimento de Chiara Lubich, fundadora do Movimento dos Focolares

0

Na noite dessa quinta-feira, 14 de março, o arcebispo metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, presidiu Celebração Eucarística em memória dos 11 anos do falecimento de Chiara Lubich, na Catedral. A missa, concelebrada pelo vigário geral, Monsenhor Luiz Carlos de Paula, também teve como intenção a canonização da fundadora do Movimento dos Focolares.

“Chiara Lubich deixou um legado importantíssimo para a Igreja inteira. Deus lhe deu uma missão toda especial: criar a espiritualidade da unidade. Uma das suas palavras importantes é esta: depois da nossa morte, a única coisa que vai ficar é o amor. O amor que nós praticamos a Deus, aos outros. Então, este amor, que foi o maior mandamento de Jesus Cristo, é o básico para que as pessoas vivam em paz, em união”, ressaltou Dom Gil.

O Movimento dos Focolares chegou a Juiz de Fora na década de 1980 e, até hoje, conta com a participação de cerca de 500 pessoas. O arcebispo fala da atuação de seus membros em obras de nossa Igreja Particular. “Colabora muito no nosso ideal de unidade, na Fazenda da Esperança e tantas outras obras que temos. De maneira oculta, de maneira escondida, como Maria, no silêncio, na simplicidade, vão semeando o ideal do amor e da unidade”.

O focolarino casado Marcel Vieira, que junto com sua esposa coordena os trabalhos do movimento em Juiz de Fora, conta que os membros da Obra de Maria – nome original dos Focolares – tentam seguir os passos de sua criadora. “Chiara doou sua própria vida a Deus. Ela, ainda muito jovem, quando tinha 23 anos, percebeu que o único ideal que não passa é Deus. Ela procurou colocar isso em prática durante os seus 88 anos de vida e hoje nós, com todas as nossas limitações, tentamos seguir os seus passos, também colocando em prática esse ideal”.

Ele ainda ressalta que o trabalho do movimento abarca outras denominações religiosas.  “O Papa João Paulo II nos chamou de apóstolos do diálogo. Então nós estamos sempre trabalhando em prol da unidade dentro da Igreja, entre cristãos de diferentes denominações, entre pessoas de diferentes religiões, com aquelas pessoas sem um referencial religioso”.

Os membros Movimento dos Focolares se reúnem mensalmente no prédio da Cúria Metropolitana, sempre no primeiro sábado, às 15h. Além disso, também há encontros semanais em grupos menores, de homens, mulheres, jovens, crianças e famílias.

Despedida do Maestro Fábio

A Santa Missa dessa quinta-feira (14) também foi em ação de graças pelo trabalho do Maestro Fábio Figueira Santos, que depois de seis anos à frente do Coral Arquidiocesano Benedictus parte para uma nova missão. Mesmo na ausência do regente – que não quis despedidas -, membros do coral entoaram, no fim da celebração, a música “Eis-me aqui” em sua homenagem.

Conteúdo Relacionado
X