Retiro Espiritual dos Seminaristas reflete sobre conhecimento de si e de Deus

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Aconteceu, entre os dias 10 e 13 de fevereiro, no Seminário Arquidiocesano Santo Antônio, em Juiz de Fora, o Retiro Espiritual dos seminaristas da Arquidiocese de Juiz de Fora. O retiro foi orientado pelo Monsenhor Geraldo Magela da Silva, Vigário Geral da Diocese de São João del-Rei, a partir de duas grandes perguntas: “Quem sou eu? Quem és Tu?”

Anualmente, após o período de férias, os seminaristas são convidados a viver este momento de profunda espiritualidade e reflexão chamado: retiro espiritual. “É muito importante para aprofundamento da fé, da oração, da espiritualidade. A formação do Seminário não é só intelectual, não é só de estudo, nem é só comunitária, mas é também pessoal, uma espiritualidade profunda, porque o padre, se ele não for uma pessoa de profunda oração, profunda comunhão com Deus, ele não será, certamente, um bom padre, ainda que souber muitas coisas. Por isso, o retiro no começo do ano tem uma grande importância para a formação dos nossos futuros sacerdotes”, explicou o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira.

Guiados pela pregação de Monsenhor Geraldo, também formado naquela casa, eles puderam estar totalmente voltados à origem de sua vocação, aprofundar o conhecimento de si mesmo, e o conhecimento de Deus. “Quem sou eu e quem é Deus. Para responder quem somos nós, precisamos dizer quem é Deus. Então nestes dias, meditando sobre a nossa personalidade, a nossa vocação e história à luz de Deus. Isso através de textos bíblicos, nas liturgias preparadas, nos momentos de silêncio e oração, na companhia de Nossa Senhora”, afirmou o Vigário.

Para o Formador da Comunidade de Teologia, Padre José Domício Ferreira da Silva, o momento de silêncio. “Vivemos em um mundo de muito barulho, de muito falatório, agora é preciso silenciar para escutar a voz de Deus, para responder a esse Deus que o chama para uma missão maior na vida da Igreja. De um modo especial, neste ano dedicado à eucaristia, onde eles vão beber dessa fonte da qual emanam todas as forças para que nós possamos viver a nossa vocação cristã, e eles também, nesse caminho de preparação para serem ministros dessa eucaristia.”

Em entrevista à Web Tv A Voz Católica, o Seminarista Lucas Gabriel Oliveira, do 2º ano de Filosofia, falou sobre como avalia a ocasião. “É um momento oportuno para praticarmos o deserto em nossas vidas e para refletirmos sobre a nossa história pessoal, a nossa história enquanto seres humanos, mas também a nossa história vocacional, visto que Deus nos chama e, para isso, é preciso responder a Deus através dessas orações pessoais, contou ele.

Todos os seminaristas juntamente com os formadores, o pregador convidado e o Arcebispo/Foto: Pascom do Seminário

Para o seminarista Wesley Vitor da Silva Souza, também do 3º ano de Filosofia, a expectativa é levar como bagagem espiritual autoconhecimento voltado à origem. “É de me conhecer ainda melhor, de poder conhecer a minha vocação, a sua origem, conhecer tudo aquilo que Deus propõe para a minha vida, o que Ele deseja que eu possa desempenhar. Procurar nesses exercícios espirituais identificar o chamado d’Ele, identificar a sua voz e compreender o que Deus representa em minha vida, o que ele representa na minha trajetória vocacional”.

Além das pregações, o retiro somou-se aos momentos de oração, a convivência, adoração, desertos, todos estes vividos intensamente. Participaram do encontro os seminaristas da Filosofia e da Teologia; os jovens que frequentam o Propedêutico farão o retiro em outra oportunidade.

*Com informações de Web Tv A Voz Católica

Veja Também