Renovações de votos marcam Missa de Nossa Senhora do Carmo em Juiz de Fora

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Na manhã do dia 16 de julho, quando a Igreja recordou a devoção à Nossa Senhora do Carmo, o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, presidiu Santa Missa no Colégio do Carmo, em Juiz de Fora. A instituição de ensino é conduzida pela Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência. Concelebrou com o Arcebispo o Padre João Paulo Teixeira Dias, que estudou por onze anos em uma escola carmelita em Viçosa, sua cidade natal.

*Escapulários foram benzidos e distribuídos aos presentes

Em entrevista, Dom Gil lembrou que Nossa Senhora do Carmo é uma devoção muito querida e antiga na Igreja. “No século XII, um grupo de jovens, a partir da experiência do Profeta Elias, foi ao Monte Carmelo para se consagrar a Deus. Mais tarde, a Ordem vai crescer no Ocidente, sob a proteção de Nossa Senhora”, lembrou o Pastor arquidiocesano. “No século XIII, São Simão Stock recebe o escapulário, palavra que vem do latim e significa ‘ombro’. Nossa Senhora deu a ele uma espécie de avental que cobria a frente e as costas como sinal de proteção contra o mal. O escapulário de Nossa Senhora é o símbolo da proteção que ela dá em nome de Deus a todos aqueles que possam ser atingidos ou estar ameaçados de qualquer mal”, completou.

O Arcebispo de Juiz de Fora ainda rendeu ações de graças pela presença das Irmãs Carmelitas em nossa Igreja Particular. “Eu quero expressar a nossa gratidão às Irmãs Carmelitas da Divina Providência, que cuidam deste colégio, que dão uma formação religiosa católica forte, sem proselitismo, mas com muita definição, com muita clareza. Elas educam os seus alunos dentro da fé de Jesus Cristo e por isso merecem de nossa parte todo apoio, todo aplauso e nossa bênção.”

A Diretora-Administrativa do Colégio do Carmo, Marina de Oliveira Magalhães, contou de que forma a fé católica é inserida no dia a dia dos alunos. “Diariamente são realizados momentos de oração, voltando o olhar para Nossa Senhora do Carmo, levando-os a fazer a experiência mariana. Lógico que a gente não pode doutrinar os alunos, mas o trabalho na evangelização e na formação é muito intenso. Eles vão, de certa forma, bebendo da fonte do Carmelo e assumindo o jeito mariano de ser no mundo.” O fato de a escola ser confessional, segundo ela, também influencia as famílias dos estudantes. “Vai gerando uma conexão ainda maior com o Sagrado.”

Renovação de votos

A Celebração Eucarística no Colégio do Carmo também marcou a segunda renovação temporária do propósito de castidade de Marcela Kamiroski como Virgem Consagrada Diocesana. “É uma grande graça poder fazer a minha renovação no Dia de Nossa Senhora do Carmo. Minha ordem, que é a Ordem das Virgens, prefigura as primeiras virgens do Cristianismo nos três primeiros séculos, as virgens mártires, e a Ordem do Carmo é a primeira ordem de Nossa Senhora na Igreja. Então, poder estar na família carmelita é o que confirma a minha vocação, além de estar com outras virgens consagradas que também doam a sua vida inteiramente a Deus”, ressaltou a jovem juiz-forana.

Em 2023, Marcela fará os votos perpétuos. “É uma grande alegria poder trilhar este caminho. Passo a passo a gente vai confirmando o chamado até chegar ao definitivo, mas Deus também vai nos dando as graças necessárias para a vivência da vocação. Então, este é um dia de reabastecimento de força, de alma, de alegria, para então a gente dar um ‘para sempre’ com aquela certeza de que Deus chama para este encontro definitivo com Ele.”

Dom Gil ressaltou algumas qualidades de Marcela, responsável pela redação do Diretório das Virgens Diocesanas, ainda a ser aprovado. “É uma jovem que entregou a sua vida a Deus para serviço da Igreja Particular de Juiz de Fora na chamada da Ordem das Virgens Diocesanas. Ela é uma menina muito dedicada, muito espiritual, muito competente naquilo que ela faz. A gente quer dar os parabéns à Marcela, à sua família também, e desejar a ela muitas felicidades e bênçãos na sua vida de consagração.”

Durante a Missa, as dez irmãs carmelitas residentes na comunidade juiz-forana também renovaram os seus votos de pobreza, castidade e obediência. Clique aqui e confira as fotos.

Veja Também