Projeto “Acorde” de Formação Musical é lançado em Juiz de Fora

0

Na manhã desta quinta-feira, 28 de março, a Arquidiocese de Juiz de Fora lançou mais uma ação sóciocaritativa: o Projeto “Acorde” de Formação Musical, mantido pela Associação de Assistência Social Padre João Emílio. A iniciativa, idealizada pelo arcebispo metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, foi apresentada no dia em que o pastor celebra dez anos de posse em nossa Igreja Particular.

A solenidade foi realizada no Instituto Padre João Emílio, local que abrigará as aulas. Conduzida pelo arcebispo, ela também contou com a presença do prefeito de Juiz de Fora, Antônio Almas, do coordenador-pedagógico do Instituto Padre João Emílio e diretor do projeto, Padre João Francisco Batista da Silva, do diretor-tesoureiro, Padre Liomar Rezende de Moraes, e da coordenadora do Projeto Esperança, Helaine Viana. O vereador Júlio Obama Jr. também esteve presente, representando o Poder Legislativo Municipal.

Dom Gil revelou sua alegria no lançamento do “Acorde” e o duplo objetivo da ação social. “Para mim é uma grande alegria, um grande sonho que se realiza hoje a fundação da Escola de Música Arquidiocesana. Já pensávamos nela há muito tempo. Nosso objetivo é formar uma orquestra para a nossa Arquidiocese, mas sobretudo que seja um projeto social. Uma oferta aos nossos jovens adolescentes que queiram aprender música”.

O pastor ressalta a diferença que a formação musical pode fazer na vida das crianças e adolescentes que serão beneficiados, com idades entre 9 e 17 anos. “A música edifica, nos liberta e nos ensina muitas coisas. Por isso nós escolhemos para esta escola o nome de ‘Projeto Acorde’. O acorde é um conjunto de notas em que uma cede à outra a sua potencialidade e se esconde na outra, porque no acorde nenhuma nota aparece, aparece a harmonia musical do conjunto dessas notas. Por isso, nosso projeto também quer ser assim: ninguém quer aparecer, ninguém quer ser melhor do que ninguém, nós queremos todos juntos trabalhar para o bem da pessoa humana, impulsionados pelo amor de Deus que pulsa no nosso coração”.

Segundo Padre João Francisco, o aprendizado da música possibilitará crescimento aos jovens. “Dom Gil me procurou falando da necessidade de pensar a educação das nossas crianças a partir da música, oferecendo para elas uma possibilidade de ter um processo de integração social, de crescimento humano, de crescimento afetivo e também comunitário, social, através da música”. Além do sacerdote, a iniciativa conta com mais duas professoras: Izabella de Oliveira Pinheiro e Teresinha de Jesus Gonçalves de Paula.

Para Padre Liomar, a formação musical chega para somar ao Projeto Esperança, realizado no Instituto Padre João Emílio desde a administração das irmãs da Congregação do Bom Pastor e que atende hoje a 135 crianças entre 6 e 11 de idade. “O Instituto Padre João Emílio vivencia hoje um momento de muita alegria, que é o início de mais um projeto para o atendimento das crianças. Já é realizado aqui no Instituto o Projeto Esperança e hoje temos a alegria de iniciar o ‘Acorde’, oferecendo oportunidade para que possam continuar a sua formação”.

Depois de saudar Dom Gil pelos dez anos de pastoreio na Arquidiocese de Juiz de Fora, o prefeito Antônio Almas caracterizou o “Acorde” como uma iniciativa de muita sensibilidade. “A gente sabe o poder que a música tem de transformar as pessoas e o projeto Acorde vai levar exatamente a essa transformação de tantos meninos e meninas que serão aqui acolhidos e transformar as suas vidas, com certeza. Não só do ponto de vista da transformação individual, mas também coletiva, porque na hora que propõe a educação musical para essas crianças, permite que eles também se engradeçam e possam engradecer todos aqueles que estão no seu entorno”.

Após as exposições dos integrantes da mesa de honra, as crianças beneficiadas pelo projeto fizeram uma pequena apresentação aos presentes, sendo aplaudidas de pé. Em seguida, todos conheceram as salas que abrigarão as aulas de música, que foram abençoadas por Dom Gil.

O Projeto “Acorde”

O público-alvo é composto por crianças a partir de 9 anos de idade e adolescentes até 17 anos, privilegiando aqueles que se encontram em situação de vulnerabilidade social. A formação musical possibilita o desenvolvimento da capacidade intelectual, a integração social, o desenvolvimento humano-afetiva, pela experiência do trabalho em equipe   e a formação de valores, através do convívio comunitário com outras crianças e com professores.

O “Acorde” funcionará em dois eixos. O primeiro deles, e mais importante, é enquanto projeto social. Vinte candidatos foram selecionados e já começaram as aulas de Iniciação Musical. No primeiro módulo do Projeto, que deve durar quatro meses, os estudantes participarão de oficinas de Percepção Musical, de Canto Coral e Flauta Doce. Depois, terão a possibilidade de fazer parte de Orquestra e Grupo Coral, que terão início no segundo semestre. Todo este processo será gratuito.

Em um segundo eixo, o projeto também abre espaço para pessoas que queiram ter aulas individuais e pagas de flauta, violão, piano ou teclado.

Doação de instrumentos

O Projeto “Acorde” de Formação Musical está somente no começo, mas já apresenta necessidades. A principal delas é a de instrumentos musicais e, por isso, a Associação de Assistência Social Padre João Emílio pede doações de peças novas ou usadas, desde que em bom estado.

Aqueles que quiserem ajudar podem procurar a direção do Instituto, que fica na Avenida Barão do Rio Branco, 3890 – Alto dos Passos. O telefone para contato é o (32) 3212-1216.

Conteúdo Relacionado
X