Primeira coletiva de imprensa sobre a 52ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil

600x300-Coletiva
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

*Colaboração: Pe. Frei Flávio Henrique, pmPN

               

Durante a primeira coletiva de imprensa realizada nesta 52ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, estiveram presentes: Dom Dimas Lara Barbosa (Arcebispo de Campo Grande/MS), dirigindo as comunicações; Dom Geraldo Lyrio Rocha (Arcebispo de Mariana/MG), que fez um resumo geral dos assuntos que serão debatidos pelos bispos brasileiros entre os dias 30 de abril e 09 de maio de 2014; Dom Sérgio Castriani (Arcebispo de Manaus/AM e Presidente da Comissão para o Tema Central), que explicou os andamentos dos estudos e da redação do novo documento sobre o Tema Central, “Comunidade de comunidades: uma nova paróquia”; e, concluindo, Dom Murilo Krieger (Arcebispo de Salvador/BA e Primaz do Brasil), falando sobre as canonizações de santos e santas brasileiros.

Dom Geraldo Lyrio indicou que além do Tema Central, outros Temas Principais serão tratados pelos Bispos reunidos em Assembleia, entre os quais: o avanço dos estudos e revisões das traduções dos textos litúrgicos, conforme está acontecendo em todas as conferências episcopais do mundo; reflexão sobre os novos desafios da família, em preparação para o Sínodo da Família que ocorrerá em outubro; preparação das Diretrizes Gerais da Igreja no Brasil, que, votada a cada 4 anos, será apresentada durante a Assembleia de 2015; discussão dos novos desafios da gigantesca herança da JMJ RIO 2013, assim como do tema da Amazônia; continuação das celebrações do triênio (2013 a 2015) das comemorações dos 50 Anos do Concílio Vaticano II; assuntos relativos ao Colégio Pio Brasileiro em Roma, que pertence a CNBB e é administrado pelos Jesuítas há várias décadas; discussões do Fundo Nacional para ajuda às dioceses mais pobres; entre outros assuntos da ordem do dia.

Dom Sérgio Castriani ressaltou que o documento do Tema Central formatado no ano passado, por decisão da Assembleia na ocasião, foi levado a todas as esferas da Igreja no Brasil, em todo território nacional, para um debate mais amplo, a fim de retratar melhor a realidade das comunidades na base das estruturas paroquiais. Novo texto foi redigido, de modo que não se trata do documento 104 discutido ano passado. O novo texto será apresentado aos Bispos para aprovação, que deverá acontecer, possivelmente, durante a Assembleia deste ano.

Encerrando a coletiva de imprensa, D. Murilo Krieger, ressaltou o crescente movimento pelo interesse justo de novas canonizações que, na Igreja do Brasil, despertou-se após a Canonização de Santa Paulina. Segundo relembrou, hoje, correm em torno de 20 processos de canonização de candidatos e candidatas brasileiros aos Altares. Enfatizou a oportuna canonização de São José de Anchieta, retomando o que julgou ser um importante título de que este missionário jesuíta adquiriu após a fecundidade dos trabalhos que desempenhou no tempo colonial: Apóstolo do Brasil.

 

Veja Também