Peregrinação penitencial do Papa teve início neste domingo

Foto: Canção Nova
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Foram 8.430 km a bordo do A330/AZ² da Ita Airways, percorridos em cerca de 10 horas e 10 minutos. O avião tendo a bordo o Papa Francisco aterrisou na pista do Aeroporto Internacional de Edmonton às 11h08 min deste domingo, 24 de julho.

Como de costume, antes de descer, o Pontífice foi saudado ainda no avião pelo núncio apostólico, neste caso Dom Ivan Jurkovič, arcebispo titular de Corbavia, e pelo chefe do Protocolo. Após, em cadeira de rodas, Francisco foi conduzido a um hangar para a cerimônia de boas-vindas na presença da governadora-geral do Canadá Mary May Simon, do primeiro ministro canadense Justin Trudeau, lideranças indígenas e autoridades civis e eclesiásticas. Mas antes das saudações, indígenas entoando cantos com instrumentos tradicionais. Depois, muito sorridente, e com uma escuta atenta, a troca de saudações e presentes com chefes indígenas.

Após o breve encontro com as autoridades civis do Canadá, Francisco dirige-se para o Seminário São José, distante 31,1 km, onde repousará neste primeiro dia em terras canadenses. A recordar a diferença de fuso horário de 8 horas entre Roma e Edmonton.

Para caminhar juntos

Edmonton, capital da província de Alberta, recebe o Papa Francisco desde domingo (24). Banners e fotos anunciando a visita papal estão distribuídos pela cidade há dias. “Marcher ensemble – Walking together” é o tema da 37ª viagem apostólica de Francisco: caminhar juntos, expressa nas duas línguas oficiais do Canadá, francês e inglês, mas também pelo logotipo desta viagem, uma coroa circular, idealizada e desenhada pelo artista indígena Shaun Vincent. Ela ilustra os símbolos e valores de uma cultura ofendida e ferida pelo processo de inculturação desejado há mais de 100 anos, nas chamadas “escolas residenciais”, com o objetivo de integrar os povos indígenas no recém-criado estado canadense, mas com os resultados que, em abril deste ano no Vaticano, levaram o Papa a expressar desculpas, vergonha e um pedido de perdão às delegações indígenas que ele recebeu.

Uma parte importante do Canadá hoje

O governo do Canadá reconhece hoje três populações autóctones, que representam cerca de 4% de toda a população canadense de 38 milhões de habitantes: as Primeiras Nações, termo usado para indicar os povos presentes no território do atual Canadá antes da chegada dos colonizadores europeus; depois os Métis, os mestiços, nascidos do encontro entre autóctones e europeus; e finalmente os Inuit, os povos das terras do norte do Ártico.

E Francisco visita o Canadá em uma “peregrinação penitencial”, definida pelo próprio Santo Padre, precisamente para continuar com eles naquele caminho de reconciliação, perdão e consolo que já começou e que existe na Igreja local, que se fez portadora da recuperação de uma relação com uma parte importante de toda a população, um dos principais protagonistas.

Fonte: Site Vatican News e Canção Nova

Veja Também