Paróquias da Arquidiocese celebram Semana das Dores

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A quinta semana da Quaresma é tradicionalmente chamada de “Semana das Dores”, durante a qual diversas comunidades realizam o Setenário das Dores. Em cada um dos sete dias em que os encontros são realizados, são postos em reflexão as dores e os sofrimentos que Nossa Senhora viveu ao longo de sua vida.

Paróquias da Arquidiocese de Juiz de Fora já deram início à celebração do Setenário. Confira as programações:

Catedral Metropolitana – Centro
*A Catedral fica na Rua Santo Antônio, 1201
A Catedral iniciou a Semana das Dores no último sábado (21). Durante a semana, as reflexões sobre as dores de Maria acontecerão nas celebrações das 7h e das 19h.

Paróquia São Geraldo – Teixeiras
*A Matriz São Geraldo fica na Rua Nair Furtado de Souza, 10
Nesta paróquia, o Setenário das Dores também foi iniciado no sábado (21). Até esta sexta-feira (27), haverá meditação das dores de Nossa Senhora nas Celebrações Eucarísticas das 19h.

Paróquia São Miguel e Almas – Santos Dumont/MG
*A Matriz São Miguel e Almas fica na Praça Cesário Alvim, 49
Em Santos Dumont/MG, o Setenário das Dores de Nossa Senhora começou no último domingo (22) e irá até este sábado (28). Na Igreja Matriz São Miguel e Almas, há missa e meditação às 19h. Na Matriz Nossa Senhora da Glória a celebração com reflexão das dores de Maria está sendo realizada às 19h30.

Conheça as Sete Dores de Nossa Senhora:

*Fonte: Site da Catedral Metropolitana

1ª Dor: Profecia de Simeão
Nesta primeira dor, os fiéis refletem quando o coração de Maria Santíssima foi transpassado por uma espada, e Simeão profetizou que o Filho dela seria a salvação de muitos, mas também serviria para ruína de outros. A virtude que aprendemos nesta dor é a da santa obediência.

2ª Dor: Fuga para o Egito
Quando Jesus, Maria e José fugiram para o Egito, foi uma grande dor saberem que desejavam matar aquele que trazia a salvação! Maria suportou o exílio por amor e alegria, e sentiu-se triste por ver seu filho perseguido. Esta dor nos ensina a aceitar as provocações do dia a dia com alegria de quem sofre para agradar a Deus.

3ª Dor: Maria procura Jesus em Jerusalém
Maria procurou Jesus por três dias. Quando o encontrou no Templo, no meio dos doutores, ela emudeceu e compreendeu que sendo o seu filho, aquele que salva, assim deveria proceder, submetendo a sua vida à vontade de Deus. Aqui devemos contemplar as mães que choram, ao verem os seus filhos generosos ouvirem o chamamento divino, aprendendo com Maria a sacrificar o seu amor natural.

4ª Dor: Jesus encontra sua mãe no caminho do Calvário
Não há dor semelhante à dor de Maria quando encontrou-se com seu Filho a caminho do Calvário, carregando uma pesada cruz e insultado como se fosse um criminoso. Almas que temem o sacrifício aprendam nesta meditação a se submeterem à vontade de Deus, como Maria e Jesus se submeteram! Aprendamos a sofrer em silêncio como Maria e Jesus sofreram neste doloroso encontro no caminho do Calvário.

5ª Dor: Maria ao pé da cruz de Jesus
Na meditação desta dor encontramos consolo e força para nossas almas contra as tentações e dificuldades e aprendemos a ser fortes em todos os combates de nossa vida. Contemplemos Maria aos pés da Cruz, assistindo à morte de Jesus, com a alma e o coração transpassados com as mais cruéis dores! Aprendamos que esta dor nos dará força para sermos humildes: virtude amada de Deus e dos homens de boa vontade.

6ª Dor: Maria recebe Jesus descido da cruz
Por muito ter sofrido aos pés da cruz, muito lhe foi dado! Se não tivesse sofrido tanto, não teria recebido os tesouros do paraíso em suas mãos. Não nos esqueçamos de meditar esta imensa dor, quando nossa cruz estiver pesada. Nela, encontraremos força para sofrer por amor a Jesus que sofreu na Cruz a mais infame das mortes.

7ª Dor: Maria deposita Jesus no Sepulcro
Quanta dor padeceu Maria quando teve que ver sepultado seu filho. A quanta humilhação seu Filho se sujeitou, deixando-se sepultar, sendo ele o mesmo Deus! A humildade não rebaixa o homem, pois Deus se humilhou até a sepultura e não deixou de ser Deus.

Outras Informações:
Catedral Metropolitana – Centro: (32) 3250-0700
Paróquia São Geraldo – Teixeiras: (32) 3236-1778
Paróquia São Miguel e Almas – Santos Dumont/MG: (32) 3251-4839
Assessoria de Comunicação Arquidiocese Juiz de Fora: (32) 3229-5450

Veja Também