Papa Francisco recebe presidência da CNBB e grupo de assessores

Presidência da CNBB foi recebida pelo Papa Francisco /Foto: Vatican Media

O Papa Francisco recebeu na manhã desta quinta-feira (09) no Vaticano, os membros da Presidência e os assessores da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Durante o encontro com o Papa a presidência, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, acebispo de Belo Horizonte (MG), presidente; Dom Jaime Spengler, arcebispo de Porto Alegre (RS), primeiro Vice-presidente; dom Mário Antonio da Silva, arcebispo de Cuiabá (MT), segundo Vice-presidente; e dom Joel Portella Amado, bispo auxiliar da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ), secretário-geral da CNBB agradeceu ao Pontífice por sua dedicação à Igreja no mundo todo e, especialmente, ao povo brasileiro, a quem se refere sempre como muito afeto.

Sobre o encontro com o Papa nós conversmos com dom Jaime, Dom Mário e Dom Joel:

Visita aos Dicastérios

Ao longo da semana, os assessores da CNBB tiveram a oportunidade de visitar os vários Dicastérios que integram a Cúria Romana, como é o caso do Discatério para a Comunicação, o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida e o Dicastério para a Cultura e a Educação.

O padre Crispim Guimarães, assessor da Comissão Episcopal para a Vida e a Família da CNBB, esteve reunido no dia 2 fevereiro com os secretários do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida do Vaticano.

Na ocasião, ele apresentou o trabalho realizado pela Comissão como os lançamentos da Pastoral Familiar no Brasil e os materiais que fazem parte da Trilha Vocacional para a vida em família.

“Foi uma conversa muito produtiva, eles viram os materiais e ficaram muito contentes e pediram para partilhar os materiais com outras conferências episcopais”, partilhou padre Crispim. Ele contou também que o secretário do dicastério, o brasileiro Gleison de Paula Souza, deverá ter os materiais como fonte de pesquisa para um doutorado sobre família.

No Dicastério para a Comunicação, houve também um momento de partilha e de encaminhamentos de articulações entre assessores da CNBB e o organismo da cúria.

Os quatro assessores da Comissão Episcopal para a Cultura e a Educação da CNBB visitaram o Dicastério para a Cultura e a Educação da Santa Sé e foram recebidos pelo prefeito, o cardeal José Tolentino Mendonça, e a equipe que atua nas diversas áreas do organismo.

“Foi muito proveitoso, porque ouvimos algumas orientações e também o grande pedido de que nós pudéssemos trabalhar cada vez mais em parceria. Foi muito interessante ouvir o quanto a Igreja do Brasil tem atividades concretas, inovadoras e também presentes nos diversos campos de atuação, sendo até protagonista e até inspirando outras experiências pastorais, evangelizadoras para outras partes do mundo. Então, nesse sentido, nós percebemos o quanto o próprio Vaticano está desejoso de profundamente ouvir nossas experiências pastorais que, de certa forma, também inspiram na multiplicação de atividades como essas em outros países mundo afora”, partilhou o assessor do Setor Educação, padre Júlio César Evangelista Resende, que ressaltou ainda que a oportunidade de estar presente e conhecer os diversos departamentos e as pessoas responsáveis, “permite maior comunhão e apoio recíproco”.

Retiro dos Assessores

O grupo teve a oportunidade de vivenciar, ainda, um dia de retiro espiritual em Assis, na Itália, pregado pelo padre Geraldo Hackmann, da arquidiocese de Porto Alegre, teólogo e prefeito de estudos do Colégio Pio Brasileiro.

Com o tema “sentir a Igreja”, o retiro foi um momento de escuta, oração e partilha, segundo o subsecretário adjunto de pastoral da CNBB, padre Marcus Barbosa.

Tendo como texto bíblico referencial Jo 21, 15-19 e várias reflexões da teologia e do magistério da igreja, especialmente a Carta Encíclica Ecclesiam Suam, de 1964, escrita por São Paulo VI, todos foram convidados a refletir sobre como se sentem diante da Igreja.

“Uma das preciosas reflexões rezadas nesse retiro é que sem amor à Igreja – que é fruto do amor primeiro a Jesus Cristo, da experiência de ser verdadeiramente amigo de Jesus, nas escolhas, nas atitudes e nos gestos que realizamos – não há compreensão e nem mesmo missão da Igreja”, disse o padre Marcus Barbosa.

Missa no Túmulo de São Pedro

Outra atividade na manhã desta quinta-feira, 9 de fevereiro, foi a celebração da Eucaristia no Sepulcro de São Pedro. A Missa foi presidida pelo arcebispo de Cuiabá (MT) e segundo vice-presidente da CNBB, dom Mário Antônio da Silva.

Fonte: Site Vatican News

 

Veja Também