Papa Francisco nomeia o Monsenhor Raimundo Possidônio Carrera da Mata como Bispo Coadjutor de Bragança (PA)

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

O Papa Francisco nomeou, nesta quarta-feira, 16 de março, o monsenhor Raimundo Possidônio Carrera da Mata como bispo coadjutor da diocese de Bragança (PA). Desde 15 de fevereiro de 2020, ele vem exercendo a função de pároco da paróquia Mistério da Transfiguração do Senhor, em Ananindeua (PA).

Trajetória pessoal e eclesial 

Raimundo Possidônio Carrera da Mata nasceu em 31 de março de 1954, no distrito de Icoaracia, em Belém do Pará. Fez seus estudos fundamentais (primário e ginásio) em sua cidade natal, concluindo-os no seminário São Pio X (seminário menor da arquidiocese de Belém), onde ingressou em 1968. Estudou o clássico no seminário redentorista Santíssimo Redentor (1970-1972).

Cursou Filosofia e Teologia no Instituto de Pastoral Regional (IPAR), no período de 1973 a 1978. Foi ordenado diácono no dia 7 de junho de 1976. Nesse período, exerceu as funções de auxiliar da formação do seminário São Pio X. Sua ordenação sacerdotal ocorreu em 24 de junho de 1978.

Possui especialização em História da Igreja na América Latina, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, (1982), mestrado em História Eclesiástica pela universidade Gregoriana, em Roma (1987). Iniciou o Doutorado, ainda não concluído, em História da Igreja (2000).

Lecionou, em 1982, no Instituto de Pastoral do Regional (IPAR) Norte 2 e depois no seminário maior Nossa Senhora da Conceição da arquidiocese de Belém, com ensino nas áreas de História da Igreja do Brasil, América Latina e mundial, História da Igreja na Amazônia, História das Religiões e Ecumenismo. Assessora diversos cursos nas áreas da religiosidade, catolicismo popular e catequese. Foi assessor de assembleias diocesanas do Regional Norte II e vice-diretor do IPAR.

De 1994 a 1999, foi diretor do seminário maior Nossa Senhora da Conceição. Também exerceu a função de cerimoniário da arquidiocese de Belém de 1989 a 2009. De abril de 2009 a março de 2010, foi administrador diocesano da arquidiocese de Belém. Recebeu o título oficial de monsenhor em 2010. Desde 2004 é vigário geral da arquidiocese de Belém, onde também exerceu, de 2004 até fevereiro de 2020, a função de coordenador de Pastoral.

Exerceu funções de pároco em diversas paróquias da arquidiocese como: Santo Antônio do Coqueiro (1980/85), paróquia Nossa Senhora de Fátima em Icoaraci (1987/88), primeiro pároco da paróquia Nossa Senhora Rainha da Paz (1988/92) e primeiro pároco da paróquia Nossa Senhora da Conceição do Outeiro e Ilhas Adjacentes (1994/1999). Foi administrador paroquial de Sant’Ana (2000/2001), voltando a administrar a paróquia da Conceição em Outeiro (2001/2002). Foi pároco da paróquia São Joao Batista e Nossa Senhora das Graças (2002/2011) e em Nossa Senhora de Fátima entre de 2011 até 14 de fevereiro de 2020.

Participou como assessor de diversos encontros inter-regionais da Igreja na Amazônia (Manaus, 1997; Manaus, 2007;  Santarém, 2012; I Encontro da Igreja na Amazônia Legal, 2012; II Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal, 2016;  e do  III Encontro dos Bispos na Amazônia Legal, 2018.

Colaborou com a Comissão Episcopal para a Amazônia (CEA) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBBB). Participou da Comissão organizadora do Mutirão para a Igreja na Amazônia (Brasília, 2005) e da criação da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam, 2014). Participou da Comissão da CNBB que elaborou as Diretrizes para a Formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil, em 2019. Também participou do processo do Sínodo para a Amazônia (reuniões e assembleias preparatórias, elaboração do Instrumentum Laboris e, durante o Sínodo em Roma, da elaboração do Documento Final).

Fonte: Site da CNBB

Veja Também