Papa às pessoas com deficiências: a Igreja ama vocês e precisa de vocês

Dia Internacional das Pessoas com Deficiência será comemorado em 3 de dezembro próximo/Foto: Vatican Media
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

O Vaticano publicou nesta quinta-feira, 25, a mensagem do Papa Francisco para o Dia Internacional das Pessoas com Deficiências, celebrado em 3 de dezembro. No texto, o Papa se dirige a essas pessoas enfatizando que a Igreja as ama e precisa de cada uma delas para cumprir sua missão ao serviço do Evangelho.

A data deste ano tem como tema “Vós sois meus amigos” (Jo 15, 14), o que também intitula a mensagem papal. E o primeiro ponto destacado por Francisco é a amizade de Jesus.

“Ter Jesus como amigo é a maior das consolações e pode fazer de cada um de nós um discípulo agradecido, jubiloso e capaz de testemunhar que a própria fragilidade não é um obstáculo para viver e comunicar o Evangelho”.

O Papa acrescenta que a amizade confiante e pessoal com Jesus pode ser a chave espiritual para aceitar as limitações que todos experimentamos e viver em paz essa condição.

A Igreja é a vossa casa

No segundo tópico da mensagem, Francisco recorda que, pelo Batismo, todos são membros de pleno direito da comunidade eclesial, sem exclusões nem discriminações. A Igreja não é uma comunidade de pessoas perfeitas, mas de discípulos a caminho, frisa o Pontífice.

Reconhecendo que a discriminação ainda está presente na vida social, Francisco atenta que ela se alimenta de uma cultura que tem dificuldade de compreender o valor inestimável de toda pessoa. E o fato de seguir considerando a deficiência como uma doença acaba contribuindo para estigmatizar as pessoas, mantendo uma segregação.

 “No que diz respeito à vida da Igreja, «a pior discriminação (…) é a falta de cuidado espiritual» (Evangelii gaudium, 200), que às vezes se manifestou na negação do acesso aos Sacramentos, experimentada infelizmente por alguns de vós. O Magistério é muito claro nisto e, recentemente, o Diretório para a Catequese afirmou de forma explícita que «ninguém pode recusar os Sacramentos às pessoas com deficiência» (n. 272).”, explica o Papa.

No tempo da provação

A amizade de Jesus protege no tempo da provação, ressalta o Pontífice. Ele considera que a pandemia teve e continua tendo repercussão dura na vida das pessoas com deficiências.

“Sabei que o Papa e a Igreja estão particularmente próximos de vós, com afeto e ternura. A Igreja está ao lado daqueles dentre vós que ainda estão a lutar contra o coronavírus; como sempre, ela reitera a necessidade de se cuidar de cada um, sem que a condição de deficiência seja de obstáculo para o acesso aos melhores tratamentos disponíveis”.

O Evangelho é para todos

Na última parte da mensagem, o Santo Padre destaca que da amizade com Jesus surge a vocação. E frisa que o Evangelho é dirigido a cada um, consolando e, ao mesmo tempo, chamando à conversão.

Considerando as condições de fragilidade, o Papa se dirige às pessoas com deficiências pedindo que rezem. E conta também com o auxílio de familiares para transmitir esse apelo.

“Não há ninguém tão frágil que não possa rezar, adorar o Senhor, dar glória ao seu Nome santo e interceder pela salvação do mundo. Diante de Deus Todo-Poderoso, descobrimo-nos todos iguais”.

Por fim, o Papa ressalta que a pandemia mostrou que a condição de vulnerabilidade é comum a todos. E todos são importantes e necessários; todos são chamados a remar juntos, e o primeiro modo de fazê-lo é rezar.

“Podemos fazê-lo todos; e ainda que tivéssemos, como Moisés, necessidade dum sustentáculo (cf. Ex 17, 10-12), temos a certeza de que o Senhor ouvirá a nossa súplica. Desejo-vos todo o bem. Que o Senhor vos abençoe e Nossa Senhora vos guarde”, conclui.

Fonte: Site Notícias Canção Nova

Veja Também