Papa aos iraquianos: “sou peregrino penitente, de paz e de esperança”

0

O Santo Padre, Papa Francisco fará sua 33ª Viagem Apostólica fora da Itália e a primeira pós-pandemia. De 5 a 8 de março, o Pontífice irá ao Iraque. A viagem assume um significado especial e de apoio aos cristãos que vivem em estado de dúvida e de medo.

Poucos dias antes de sua partida, ele enviou uma mensagem em vídeo ao povo iraquiano. Na saudação inicial, ele se apresenta como peregrino penitente e de paz: “Desejo muito encontrar todos vocês, ver seus rostos e visitar sua terra, antigo e extraordinário berço da civilização. Venho como peregrino, como peregrino penitente, para implorar perdão e reconciliação do Senhor depois de anos de guerra e terrorismo, para pedir a Deus consolo para os corações e cura para as feridas. E venho até vocês como peregrino de paz, para repetir: “Sois todos irmãos” (Mt 23,8). Sim, venho como peregrino da paz em busca de fraternidade, animado pelo desejo de rezar juntos e caminhar juntos, também com irmãos e irmãs de outras tradições religiosas, unidos pelo pai Abraão, que reúne em uma só família muçulmanos, judeus e cristãos”.

Aos irmãos cristãos

Francisco afirma que se sente honrado em conhecer uma Igreja mártir: “Obrigado pelo seu testemunho. Que os muitos, demasiados mártires que vocês conheceram nos ajudem a perseverar na humilde força do amor.” E oferece o amor da Igreja de todo o mundo:

“Gostaria de lhes trazer a carícia afetuosa de toda a Igreja, que está próxima de vocês e ao mortificado Oriente Médio e os encoraja a seguir em frente. Não permitamos que prevaleçam os terríveis sofrimentos que vocês sofreram e que tanto me afligem. Não desistamos diante da propagação do mal: as antigas fontes de sabedoria de suas terras nos guiam para outro lugar, para fazer como Abraão que, embora tenha deixado tudo, nunca perdeu a esperança (cf. Rm 4,18); e, confiando em Deus, deu vida a uma descendência tão numerosa quanto as estrelas do céu. Caros irmãos e irmãs, vamos olhar para as estrelas. Ali está a nossa promessa”.

Peregrino de esperança

Recordando os sofrimentos do povo iraquiano, cristãos, muçulmanos e povos Yazidi, pelas guerras e também da força de vontade de não desistirem, o Papa os anima: “Agora venho à sua terra abençoada e ferida como peregrino de esperança. Da sua terra, Nínive, ressoou a profecia de Jonas, que impediu a destruição e trouxe uma nova esperança, a esperança de Deus”.

Por fim, o Santo Padre encoraja todos os irmãos: “Deixemo-nos contagiar por esta esperança, que nos encoraja a reconstruir e a recomeçar”. “Irmãos e irmãs de todas as tradições religiosas. Desta terra, há milênios, Abraão começou a sua viagem. Hoje cabe a nós continuá-la, com o mesmo espírito, caminhando juntos pelos caminhos da paz! Por esta razão, invoco sobre vocês toda a paz e a bênção do Altíssimo. E peço a todos vocês que façam o mesmo que Abraão: caminhem com esperança e nunca deixem de olhar para as estrelas. E peço a todos vocês, por favor, me acompanhem com a oração. Shukran! [Obrigado!]”.

Programação

A agenda do Papa contempla, na sexta-feira (5), partida de Roma rumo a Bagdá. Ao chegar à capital, está prevista a cerimônia de acolhida oficial no Aeroporto da cidade e o encontro com o primeiro-ministro. Em seguida, o Papa tem dois encontros oficiais no Palácio Presidencial de Bagdá: um com o Presidente da República e outro com as Autoridades, a Sociedade Civil e o Corpo Diplomático. No mesmo dia, na parte da tarde, Francisco encontra os bispos, sacerdotes, religiosos e religiosas, seminaristas e catequistas na Catedral Sírio-Católica de “Nossa Senhora da Salvação”.

No sábado (6), na parte da manhã, o Papa parte de avião para Najaf, onde encontra o Grão-Aiatolá Sayyd Ali Al-Husaymi Al-Sistani. Em seguida, segue sua viagem de avião para Nassiriya, onde participa na Planície de Ur de um encontro Inter-religioso, para o qual está previsto um Discurso do Santo Padre. Logo depois, retorna de avião para Bagdá. À tarde, o Papa celebra a Santa Missa na Catedral caldeia de “São José”, em Bagdá.

No domingo (7), está prevista uma viagem a Erbil, de avião. Na região autônoma do Curdistão Iraquiano, o Papa encontra autoridades civis e religiosas no aeroporto local. Em seguida, de helicóptero, vai a Mosul. Na Praça da igreja de Mosul, o Papa faz uma Oração de Sufrágio pelas vítimas da Guerra. A próxima etapa da manhã de domingo é Qaraqosh, onde o Papa encontra a comunidade na igreja da “Imaculada Conceição”, faz um discurso aos presentes e reza o Angelus. Na parte da tarde, de helicóptero, dirige-se a Erbil, no Estádio “Franso Hariri” para celebrar a Santa Missa. Depois da celebração, o Papa retorna a Bagdá.

Na segunda-feira (8), Francisco participa da cerimônia de despedida no Aeroporto de Bagdá e, em seguida, volta a Roma.

*Fontes: Site do Vatican News e A12.com

Conteúdo Relacionado
X