Padre Camilo toma posse como Reitor do Seminário Santo Antônio

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A capela do Seminário Arquidiocesano Santo Antônio sediou, na manhã desta quinta-feira (30), a cerimônia de posse do novo Reitor, o Padre Antônio Camilo de Paiva, e do Vice-Reitor, Monsenhor Luiz Carlos de Paula. A Santa Missa foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, e concelebrada pelo Arcebispo Emérito de Sorocaba, Dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues, pelos padres formadores e diretores espirituais do Seminário.

O rito de posse ocorreu após a Liturgia da Palavra e a homilia do Arcebispo, com a leitura, por Padre Camilo e Mons. Luiz Carlos, da Profissão de Fé e do Juramento de Fidelidade. Durante a celebração, Dom Gil agradeceu o trabalho do antigo reitor e acolheu o novo. “Monsenhor Luiz Carlos foi um ótimo reitor, mas pediu para ser substituído porque tem muitas outras funções na Arquidiocese, como vigário geral, moderador da Cúria, responsável pelos diáconos permanentes. Nós apenas fizemos a inversão. Eu quero agradecer pelo trabalho que ele fez, muito bem recebido pelos alunos, professores e todos os funcionários, e pedir a Nosso Senhor que abençoe muito o Padre Camilo, em quem nós temos também inteira confiança. É um padre muito dedicado, alegre, feliz, e isso é muito importante para conduzir um seminário de formação de futuros padres.”

O Pastor Arquidiocesano ainda lembrou que a mudança na Reitoria do Seminário faz parte das propostas do II Sínodo Arquidiocesano. “Nossa caminhada sinodal tem como perspectiva a reformulação pastoral, a reanimação pastoral, a revitalização pastoral, então muitas mudanças acontecem também nos cargos na nossa Arquidiocese visando este momento novo”, recordou.

Em entrevista, Padre Camilo falou da responsabilidade de assumir o cargo de reitor. “Os nossos antecessores, todos eles são grandes vultos da Igreja, homens de muitas qualidades humanas. Então a gente tem que ter essa humildade de ser um eterno aprendiz. Minha expectativa é de tranquilidade, tendo Dom Gil como aquele porto seguro para me ajudar, bem como os padres que trabalharão comigo na formação.” O sacerdote disse entender a formação como “um grande ecossistema educativo”, em que padres, funcionários, seminaristas e comunidade católica se ajudam mutuamente. Por fim, apontou características pessoais que o ajudarão na nossa missão. “Eu sou um homem da Comunicação. Penso que a minha colaboração nesse horizonte de grandes colaboradores talvez seja no nível da fala, da linguagem, da postura, ajudar os seminaristas a serem amantes da Comunicação. Mas em todo reitor não pode faltar a espiritualidade: ser um homem de oração, que leve os seminaristas também a essa disciplina oracional. Tem que ser também um homem da convivência, um homem sinodal, um homem que consiga fazer pontes com todos os poderes constituídos na sociedade.”

Monsenhor Luiz Carlos, por sua vez, fez uma avaliação dos três anos em que ficou à frente da casa de formação arquidiocesana, sendo a maior parte deste período marcada pela pandemia. “Foi um trabalho intenso, mas contei muito com a colaboração de todos os formadores que trabalham no Seminário e também dos padres que ajudam no Conselho de Formação, os diretores espirituais, os responsáveis pela Pastoral nas paróquias, e a presença de Dom Gil. Enfrentamos toda a situação da pandemia e o Seminário não parou. Ele está estruturado de tal modo que mesmo com a pandemia foi possível continuar caminhando em todas as dimensões da formação”, relembrou.

O Vigário Geral da Arquidiocese, que além das atuais funções ainda será empossado Pároco da Paróquia Santa Teresinha em 17 de julho, mencionou a continuidade da parceria com Padre Camilo. “Como vice-reitor, ele sempre participava conosco em tudo; eu sempre o chamava para estar conosco nas reuniões, nos planejamentos, nas avaliações, e agora tê-lo à frente do Seminário é uma alegria muito grande. Eu peço a Deus que o abençoe, o proteja, o ilumine, para que ele possa realizar um bom trabalho.”

Também participaram da celebração o Reitor do Centro Universitário UniAcademia – que tem uma parceria com o Seminário nos cursos de Filosofia e Teologia -, Giovânio Aguiar, os seminaristas, os funcionários da casa de formação, professores(as) e representantes da Paróquia Santa Rita de Cássia. Além da posse do novo Reitor, a Eucaristia marcou o encerramento do semestre letivo. Clique aqui e confira mais fotos.

Padre Camilo

Padre Antônio Camilo de Paiva é natural de Mercês de Água Limpa (MG) e tem 52 anos. Ordenado presbítero em 13 de janeiro de 1996, é Administrador da Paróquia Santa Rita de Cássia, localizada no Bairro Bonfim, em Juiz de Fora, desde março de 2010. Também passou pelas paróquias Nossa Senhora Aparecida (Nossa Senhora Aparecida), Nossa Senhora da Cabeça (São Dimas), São Miguel e Almas (Santos Dumont), Senhor Bom Jesus do Livramento (Liberdade) e Santo Antônio (Passa Vinte). O sacerdote ainda acumula a função de Vigário Episcopal para Educação, Comunicação e Cultura e de Diretor da Rádio Catedral FM 102,3.

Tomou posse como Vice-Reitor do Seminário Santo Antônio em junho de 2019, quando também assumiu a coordenação do curso de Teologia do Centro Universitário UniAcademia/ITASA. Além das formações em Filosofia e Teologia, tem Bacharelado em Jornalismo Religioso e Mestrado em Ciências da Comunicação pela Pontifícia Universidade Salesiana de Roma e Especialização em Comunicação Social pela Universidade São Francisco e CEPAC de São Paulo.

Seminário Santo Antônio

Desde sua fundação, em 1° de março de 1926, pelo primeiro Bispo de Juiz de Fora, Dom Justino José de Santana, o Seminário Santo Antônio forma o clero da Arquidiocese de Juiz de Fora e de outras igrejas particulares do Brasil. Além dos seminaristas das dioceses de Leopoldina (MG) e São João del-Rei (MG), pertencentes à Província Eclesiástica de Juiz de Fora, a casa acolhe os aspirantes ao sacerdócio da Diocese de Valença (RJ) e de congregações religiosas para as atividades acadêmicas, através dos cursos de Filosofia e Teologia.

Nas dependências do Seminário, também frequentado por leigos e leigas que buscam os mencionados cursos, ainda funciona a Escola Diaconal Santo Estêvão, responsável pela formação dos candidatos ao Diaconato Permanente.

Veja Também