Ordenação de seminarista obidense em terras mineiras reforça parceria entre Igrejas-Irmãs

0

A parceria entre a Arquidiocese de Juiz de Fora e a Diocese de Óbidos (PA) ganhou mais um fruto na manhã do último sábado, 7 de novembro, quando o obidense Marcus Vinicius Fernandes da Silva foi ordenado Diácono Transitório, durante Celebração Eucarística na Matriz Nossa Senhora de Fátima, no Bairro Barbosa Lage.

O bispo da diocese paraense, Dom Bernardo Johannes Bahlmann, OFM, presidiu a Eucaristia, que foi concelebrada pelo Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, pelo Reitor do Seminário Arquidiocesano Santo Antônio, Monsenhor Luiz Carlos de Paula, pelo Administrador Paroquial, Padre Expedito Lopes de Castro, e por diversos sacerdotes de nossa Igreja Particular.

Seminaristas e fiéis das duas dioceses-irmãs também participaram da Santa Missa, marcada por emoção, agradecimentos, despedida e espírito missionário. Diácono Marcus Vinicius dá adeus à nossa Igreja Particular no próximo mês, depois de finalizar o curso de Teologia, com a apresentação do TCC. Ao final da Missa, o jovem tomou a palavra para agradecer a todos que participaram, direta ou indiretamente, da sua caminhada vocacional. “A vida é feita de momentos e instantes que queremos levar para a eternidade. E este, agora, é momento de gratidão. A exemplo de Maria, nas Bodas de Caná, que pediu para fazerem o que Ele dissesse, percebemos com o tempo que o serviço é uma forma de agradecimento. Agradecimento a Deus pelo dom da vida, pelo dom do chamado, pelas inúmeras amizades e pela graça da diaconia. Como disse um amigo meu, o diaconato é transitório, mas a diaconia é permanente”.

Ele ainda reconheceu os papéis de Dom Bernardo e Dom Gil em sua trajetória. “Agradeço a Dom Bernardo pelo carinho, pela amizade, pelo apoio, pela confiança depositada em mim; por entregar um grande tesouro a um simples pote de barro. Tudo isso para manifestar a força superior que vem de Deus e não de nós, humildes servos, como nos exorta São Paulo. Agradeço a Dom Gil pela disponibilidade e carinho não só comigo, mas com todos os seminaristas de Óbidos. Agradeço à Arquidiocese de Juiz de Fora pelo seu zelo, como uma irmã mais velha que abre seus braços para acolher sua irmã mais nova. Que Santo Antônio e Santa Ana sempre abençoem nossa irmandade. Que bela união: açaí e pão de queijo”, brincou.

Diácono Marcus Vinicius recordou os três anos de convivência com Padre Expedito, a quem relacionou à figura de um pai, e lembrou das irmãs, mães, pais, avós e avôs que o adotaram em sua passagem por Minas Gerais. “Na convivência com vocês, vi o rosto de Jesus, o olhar maternal de Maria e aprendi que Deus não está acima de tudo e de todos, mas no meio de nós, assim como respondemos na Missa; está no olhar do outro e nas atitudes de acolhimento e caridade. Estamos todos aqui para fazer a Sua vontade e viver do Seu amor”, finalizou. Além da comunidade do Barbosa Lage, ele passou pelas paróquias Nossa Senhora Mãe de Deus (Bairro de Lourdes) e São Sebastião (Chácara/MG), além da Quase-Paróquia São Geraldo (Filgueiras).

Segundo o Reitor do Seminário Santo Antônio, Monsenhor Luiz Carlos de Paula, Marcus Vinicius se integrou de forma muito bonita na Arquidiocese de Juiz de Fora. “Ele fez um caminho muito bonito de estudo, de espiritualidade, de amadurecimento vocacional e também de experiência pastoral. A ordenação é sempre um momento de muita alegria para nosso Seminário, para nós, formadores, para os seminaristas, para todo o povo de Deus. É dia de agradecermos a Deus e pedir a Ele que abençoe o Marcus e seu ministério”.

Um grupo de dez pessoas, sendo dois seminaristas obidenses e oito paroquianos da comunidade de origem de Marcus Vinicius, também dedicada à Nossa Senhora de Fátima, vieram a Juiz de Fora para participar da Ordenação Diaconal. Sua irmã e sua tia representaram os demais familiares, que acompanharam a celebração ao vivo, pelas redes sociais. Nara Alcione Ribeiro da Silva, tia do diácono recém-ordenado, contou do despertar de sua vocação. “Desde pequeno o Marcus foi muito engajado na Igreja e, com a graça de Deus, foi uma escolha que ele fez. Da minha família a primeira pessoa que soube disso fui eu, foi para mim que ele falou. Foi uma bênção muito grande em nossas vidas e, com a graça de Deus, ele chegou aonde muitos desistiram”.

Ela também falou do amor que o sobrinho recebeu em terras mineiras. “A gente agradece muito às pessoas que o receberam aqui. Percebemos que Marquinhos é uma pessoa muito amada e temos muita gratidão por tudo que fizeram por ele, pelo amor que deram a ele. A gente ficava com o coração apertado lá no Pará, mas sabíamos que ele estava sendo muito bem cuidado”. A irmã de Marcus, Anne Kellen Siqueira da Silva, contou que administrar a distância foi difícil. “Cada vez que ele ia para lá era uma alegria, mas quando chegava a hora de voltar era doído. Mas a gente soube controlar a nossa saudade e estamos aqui hoje nesse momento tão importante”.

Após anos de convivência, Padre Expedito contou que é com o coração apertado que ‘devolve’ Marcus Vinicius à sua Igreja de origem. “Nós nos tornamos verdadeiramente amigos. Durante a pandemia, o Marquinhos veio para a casa paroquial e nós convivemos juntos por mais de seis meses e, assim, estreitamos mais ainda os nossos laços de amizade. À Diocese de Óbidos, muito obrigado por ter nos dado a oportunidade de conhecê-lo”.

A Ordenação Diaconal do seminarista obidense em Juiz de Fora, para o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, estreita os laços missionários entre as Igrejas-Irmãs. “Esta ponte que nós temos entre Óbidos e Juiz de Fora se fortalece cada vez que a gente pode impor as mãos sobre alguém que estudou aqui. É um momento de ação de graças para nós pela ordenação do Marquinhos, um seminarista muito dedicado, muito bom, e que a gente espera que seja um excelente padre. A realidade da Amazônia é completamente diferente da nossa, então, poder colaborar com a Diocese de Óbidos também neste sentido de formar os seus padres e seminaristas, é para nós uma grande alegria e um dom de Deus”.

No mesmo sentido, Dom Bernardo afirma que a Eucaristia do último sábado (7) serviu para aprofundar a relação entre as duas dioceses. “Não é só uma irmandade, é uma fraternidade, é uma amizade, é uma comunhão que nós estamos vivendo entre duas Igrejas, porque uma recebe, outra dá e vice-versa. É muito bonito ver uma Igreja aqui do Sudeste se unir com uma Igreja da Amazônia, para dizer: ‘nós estamos juntos numa mesma caminhada de Jesus Cristo, nós estamos acreditando, nós estamos vivendo a nossa fé e nós queremos nos ajudar mutuamente’. E, neste sentido, eu sou muito grato pelos gestos concretos da Arquidiocese de Juiz de Fora”.

A chegada do Diácono Marcus Vinicius à Diocese de Óbidos, segundo o bispo, será de grande valia, devido principalmente à escassez de religiosos na região amazônica. Atualmente, são 30 padres naquela Igreja Particular, sendo oito incardinados. “Nós temos muitos leigos e leigas que estão engajados, isso já é algo histórico; muitas lideranças e sem elas não seria possível ser uma Igreja. Em relação aos religiosos e religiosas, temos a graça de termos recebido muitos de fora que estão nos ajudando, e também a gente percebe que cada vez mais estão surgindo vocações novas que querem se consagrar a Deus e viver a vida religiosa ou sacerdotal”.

A data para a ordenação sacerdotal de Marcus Vinicius ainda não está definida. A decisão será tomada após consulta ao Conselho de Presbíteros e à comunidade local.

Conteúdo Relacionado
X