O abraço do Papa às crianças refugiadas

No Pátio Sao Damaso as crianças receberam a Benção do Papa Francisco, que por sua vez pediu que rezassem por ele./ Foto: Unsplash
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Na manhã desta sexta-feira, o Papa Francisco dirigiu uma breve e afetuosa saudação às crianças que participaram da Marcha para o Acolhimento intitulada “Apri”, organizada em vista do Dia Mundial do Migrante e do Refugiado.

Primeiramente, as crianças participaram na Praça São Pedro do Festival itinerante “The Walk, que partiu da fronteira entre Turquia e Síria em direção a Manchester, tendo a frente a marionete Amal uma estátua de 3 metros e meio de alturas e que representa uma menina em fuga da fronteira sírio-turca rumo ao Reino Unido. Depois, foram até o Pátio São Damaso para brincar, e receberam a Benção do Papa Francisco, que por sua vez pediu que rezassem por ele.

Entre o grupo presente havia os membros do projeto Chaire Gynai, administrado em Roma pela brasileira scalabriniana Eléia Scariot.

O programa (cujo nome significa “Bem-vinda, mulher” em grego) é a resposta das scalabrinianas ao pedido do Papa Francisco para que elaborassem e realizassem um programa de assistência a mulheres e crianças. De modo especial, para aquelas em situação de refúgio, mas atende também mulheres vulneráveis em processo de migração com ou sem filhos.

A finalidade é favorecer a estas mulheres a conquista da própria autonomia e a integração na sociedade romana. Elas podem permanecer na casa por seis meses, até que consigam se organizar entre trabalho e moradia, com o auxílio de religiosas, psicólogos, assistentes sociais e advogados.

“As crianças perto do Papa são refugiados que estão no nosso projeto. Foi um momento maravilhoso e foi uma surpresa, porque ninguém sabia que a gente ia ter no final desse momento um encontro com o Papa Francisco, uma saudação. Foi lindo. As nossas crianças no final choraram. O nosso menino não queria mais ir embora, queria ficar e disse assim: ‘Por que não posso ficar, é tão bom ficar abraçado no Papa’. Foi uma grande alegria, uma grande surpresa para nós, que logo mais vamos celebrar a Jornada Mundial do Migrante e do Refugiado”.

Fonte: Site Vatican News

Veja Também