No Domingo da Misericórdia, Dom Gil destaca a importância da solidariedade em tempo de pandemia

0

Na manhã deste domingo (19), Festa da Divina Misericórdia e segundo Domingo da Páscoa, o Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, dom Gil Antônio Moreira, presidiu missa na Catedral Metropolitana. Ainda sem a presença de fiéis, houveram transmissões pela WebTV A Voz Católica e pela Rádio Catedral.

A celebração festiva foi concelebrada pelos padres da Catedral e teve a participação dos diáconos Waldeci e Antonio. O prefeito de Juiz de Fora, Antônio Almas, juntamente com sua esposa estiveram presentes. Assim como a fundadora da Comunidade Resgate, Cristina Ribeiro, com seu filho.

Em entrevista, o arcebispo de Juiz de Fora destacou a importância da solidariedade em tempos de pandemia. “O Domingo da Misericórdia nos ensina a ser irmãos fraternos e misericordiosos. Os primeiros Cristãos repartiam tudo de maneira igual e nós também somos chamados a isso. Neste momento da pandemia, a grande coisa que podemos fazer é ser solidários uns com os outros. Muita gente vai ter que ter uma vida mais simples, mais austera, mas o que vai valer é a sua capacidade de ser solidário, fraterno e amoroso com o seu irmão”, completou.

Quadro da Divina Misericórdia

Dom Gil explicou sobre a celebração da Divina Misericórdia. “Não é festa de Santa Faustina e nem é festa de São João Paulo II, eles querem que façamos festa para Jesus Ressuscitado. Cristo ressuscitou por misericórdia e é misericordioso conosco, porque continua em nosso meio, inclusive nos ajudando a levantar das quedas e nos ensinando a ser misericordiosos”.

O prefeito de Juiz de Fora, Antônio Almas, também em entrevista, agradeceu o espaço para falar através dos meios de comunicação da Arquidiocese e aproveitou para insistir nas orientações deste período. “Continue investindo na única coisa que a gente tem segurança que fará muito bem para todos nós, que é o nosso isolamento social, o distanciamento, nossas regras de higiene cada vez mais redobradas”.

Antônio Almas esclareceu que, caso se faça necessário ir às ruas, e que, por algum motivo, as pessoas não possam ficar em casa, todos devem utilizar máscaras. “Que façamos isso também por uma vocação cristã, da caridade, do amor e da solidariedade com outros, é fazendo essas ações todas que nós também estaremos também demonstrando o nosso amor pelo Senhor”, destacou.

O prefeito também falou sobre todos os fiéis permanecerem confiantes em Deus. “Que a gente possa fazer essa passagem de um mar tão tenebroso, mas que possamos segurar na mão do Senhor e Ele nos acolha nesse momento, como fez com os próprios discípulos, quando enfrentavam também tormentas no mar. Que o Senhor seja para nós agora essa mão tão forte que vai nos ajudar a superar o vírus e as consequências econômicas que virão”, finalizou.

Fonte: Site da Catedral de Juiz de Fora

Conteúdo Relacionado
X