Nasce Athletica Vaticana: primeira associação esportiva do Vaticano

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

“O autêntico esporte faz parte de um dos componentes radicais do ser humano, ou seja, o jogo, algo que se faz por liberdade, gratuidade, não condicionado por vínculos imediatos. É algo que dá valor à beleza.” Eis o motivo porque “na histórica a cultura sempre teve uma ligação estreita e forte com o esporte.”

Foi o que disse o presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, cardeal Gianfranco Ravasi, na apresentação esta quinta-feira (10), na Sala de Imprensa da Santa Sé, de Athletica Vaticana, a primeira associação esportiva constituída no Vaticano, e do acordo bilateral com o Comitê Olímpico Nacional Italiano (CONI). Foi também a primeira coletiva de imprensa de 2019, moderada pelo novo diretor interino da Sala de Imprensa vaticana, Alessandro Gisotti.

Apóstolo Paulo, patrono ideal dos desportistas

“Mas o esporte tem uma ligação também com a religião; também esta tem subjacente o gratuito”, observou ainda o purpurado evocando o apóstolo Paulo como “patrono ideal dos desportistas” pelo suo frequente de metáforas e linguagens esportivas em seus escritos.

Partindo do binômio esporte e ética o cardeal convidou a refletir sobre o termo “atlética”. É significativo, explicou, que na raiz do termo se encontre o conceito de corrida para se alcançar uma meta. Atlética, por conseguinte, também “como tarefa a ser cumprida”, e acrescentou:

Corrigir os desvios presentes hoje no esporte

“É triste verificar que no esporte se veem espetáculos desprezíveis como os atuais: violência e racismo nos estádios, corrupção, doping, que denotam que o pecado e a degeneração encontram numa linguagem que é o verdadeiro esperanto da humanidade sua representação mais mesquinha, que queremos combater”.

Esporte e música: para o cardeal Ravasi duas “linguagens dominantes universais” para os jovens que “refletem, ao mesmo tempo, a grandeza a miséria da humanidade”. Atletas, cantores e músicos são figuras de referência para eles. Daí uma advertência: “É preciso estar atento a não conceder pretextos para certas degenerações. É necessário reagir com firmeza e corrigir as distorções”.

Fonte: Site Vatican News

Veja Também