Missa da Misericórdia é celebrada Penitenciária José Edson Cavalieri

0

Na tarde da última quinta-feira (27) aconteceu na Penitenciária José Edson Cavalieri (PJEC), no Bairro Linhares, a Missa da Misericórdia. Organizada pela Pastoral Carcerária a iniciativa contou com a participação de 45 encarcerados, entre homens e mulheres, seus familiares e funcionários do local.

A celebração foi presidida pelo arcebispo metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, e concelebrada pelo padre responsável pela Pastoral carcerária, Welington Nascimento. Contou também com a ajuda do diácono Nivaldo Dias Ferreira e de seminaristas.

Em entrevista Dom Gil falou de sua satisfação com o andamento da Pastoral, por conta de sua organização. Além disso, falou do objetivo com tal missa “a nossa pastoral tem como padroeiro São Dimas, aquele que se converteu na última hora, e recebeu de Jesus a sua misericórdia. Então é esse ato de misericórdia de Jesus que nós queremos representar aqui nessa prisão e em outras que existem em Juiz de Fora”.

O arcebispo reafirmou a necessidade de rezar por todos que se encontram em penitenciarias. “Pedir a Deus a reconstrução da vida de cada um, para que possam depois desse período doloroso, serem reintegrados na sociedade e possam receber da sociedade também a atenção que merecem”, disse ele.

Para o padre Welington Nascimento foi um momento muito importante. “Essa missa comemora a presença de Deus na vida das pessoas. Nós a pouco tempo celebrávamos a Páscoa do Nosso Senhor, queremos como os apóstolos anunciar esse Cristo vivo. Na vida da Igreja e também dos nossos irmãos que estão presos”.

O juiz titular da Vara Execuções Penais, Evaldo Elias Penna Gavazza, destacou que essa iniciativa é muito benéfica aos presos, ao sistema penitenciário e a sociedade, pois segundo ele, o sistema de ressocialização está assentado em 3 pilares que são indissociáveis. Eles são: a assistência religiosa, o trabalho e a educação. “Qualquer um desses pilares quando fracassa no sistema prisional, o sistema de ressocialização não se materializa”.

Continuou ainda, “eventos como esse trazem população carcerária a certeza que a sociedade lá fora, a Igreja Católica, a comunidade cristã, não perde a esperança na ressocialização, continua rezando pelas pessoas que estão aqui, é uma das obrigações do cristão a visita ao encarcerado, não só a visita física, mas especialmente a visita espiritual, eventos como esse, faz com que as esperanças se renovem os corações se abram a palavra”.

Os irmãos encarcerados que puderam celebrar a eucaristia com seus parentes ouviram uma homilia bastante didática sobre o que é a missa, sobre o primeiro santo da Igreja, São Dimas, conhecido como bom ladrão e sobre a misericórdia e amor de Jesus, amor este em especial por eles.

Ao final da celebração Dr. Gavazza apresentou ao arcebispo e ao padre o novo desafio do local, uma grande obra na PJEC, agradeceu a inciativa e pediu a colaboração de todos. Eles fizeram uma breve visita às obras, após a missa.

Conteúdo Relacionado
X