Live Catequese: Novo método de Evangelização Arquidiocesano

0

Aconteceu no dia 01 de agosto, início do Mês das Vocações, a 1ª live da Pastoral Catequética. O evento foi realizado pelo Facebook da Arquidiocese de Juiz de Fora e atingiu a marca de 240 pessoas ao vivo, 3 mil visualizações completas e mais de 9.800 de alcance. Participaram da live o Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, os Padres Emerson de Assis Braz, Gleydson Pimenta de Faria, Osmar Bezerra dos Santos e a catequista da Paróquia São Geraldo, Wal Barbosa.

Um pastor em meio as suas ovelhas

Dom Gil participou de todos os momentos da live, reforçando seu compromisso com o povo e a atenção aos catequistas de nossa Arquidiocese. “É com alegria que me encontro nesta live para poder enviar a você, catequista, a palavra da Igreja de Juiz de Fora, neste momento tão novo e especial que estamos vivendo, da pandemia. Quero dizer que o papel do catequista, na vida Igreja, é importantíssimo. ”

Em sua fala o Pastor recordou o início do mês de agosto, dedicado às vocações. “Estamos começando o mês vocacional e vamos encerrar com o dia do catequista, por isso, este momento é importante para nós. É também importante, pois é a primeira live que estamos fazendo na Pastoral da Catequese da Arquidiocese.”

Dom Gil disse, ainda, sobre a importância de uma live como essa em tempos de pandemia. “Este momento se reverte de grande significado, pois no primeiro semestre nós não sabíamos muito bem sobre como esta pandemia iria ficar. Agora, no meio do ano, já sabemos que entramos em um novo sistema. Não sabemos quando a pandemia irá acabar, ela irá diminuir com a chegada da vacina. Mas quando?  Não sabemos! Este é um momento histórico, pois temos que dar um passo novo, com instrumentos e métodos novos, para que a catequese prossiga. ”

O Arcebispo falou também sobre o novo plano de evangelização criado pela Comissão Arquidiocesana de Catequese. ” Reunidos com a comissão, decidimos fazer um novo plano de catequese, contando com a situação de pandemia e o isolamento que estamos vivendo, pois Deus está nos pedindo alguma coisa.”

Dom Gil lembrou a fala profética dos últimos Papas em relação ao uso da tecnologia para a Evangelização. “É interessante, pois, conversávamos que os últimos Papas falaram muito sobre o novo milênio, com novos métodos, instrumentos e jeitos de levar Jesus Cristo para as pessoas. Eles não sabiam que viveríamos um tempo tão exigente e, agora que chegou o tempo da pandemia, somos obrigados e impulsionados a utilizar estes métodos, jeitos e instrumentos de fazer a catequese.”

O pastor exortou, em sua fala, a participação dos catequistas, para que este projeto obtenha sucesso e alcance ainda mais pessoas. “Quero convidar você para entrar no novo jeito de fazer catequese, com entusiasmo e dedicação, sobretudo com muito amor e escuta à Deus. Eu recebi o Diretório para a Catequese, do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização. É algo importantíssimo, muito rico! Os padres lerão e passarão para vocês o que for importante, mas aqui está a instrução para a catequese.”

Sobre o Sínodo, Dom Gil pediu aos catequistas que não deixem de rezar por este tempo tão valioso na vida da Igreja. “Este novo jeito de fazer catequese, esta nova fase que estamos entrando a partir de hoje, 1º de agosto, é também um movimento do nosso Sínodo. Estamos celebrando o II Sínodo da Arquidiocese de Juiz de Fora. Este Sínodo tem um lema: ‘Proclamai o evangelho pelas ruas e sobre os telhados’. O lema de nossa Arquidiocese é ‘Arquidiocese de Juiz de Fora, uma Igreja sempre em missão. ’ Então, eu queria que vocês rezassem sempre a Oração do Sínodo e cantassem o hino todas as vezes em que houver uma reunião ou qualquer coisa relacionada a catequese. ”

Navegando em alto mar, enfrentando as tempestades

Em seguida a fala foi do Padre Osmar. O sacerdote abordou a mudança de rumos que a pandemia causou no calendário e estilo de vida que estávamos adaptados. “Em meados de março, fomos surpreendidos por esta pandemia do novo coronavirus. Todos nós passamos por readaptações, mudanças de calendário, planejamentos, decretos federais, municipais e estaduais. A Igreja os acatou, pois defende a vida e queremos o bem de todos. ”

Padre Osmar reforçou que em meio a tantas transformações o Espírito Santo se faz presente e nos guia para novos horizontes. “Graças a Deus, o Espírito Santo está nos ajudando a encontrar meios para chegar aos corações e continuar a missão da Igreja. Um dos meios são as mídias digitais. Nossa geração é grata ao Senhor, pois temos estes instrumentos e vamos aprendendo a utilizá-los para o bem, como rezamos na oração do Divino Espírito Santo, ‘fazei que apreciemos retamente todas as coisas’ ”.

O sacerdote lembrou também sobre a Campanha da Fraternidade deste ano, que teve como tema: “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele.” “Estamos mais conectados como nunca. Talvez estejamos nos encontrando até mais do que antes. Estamos vivendo um tempo em que temos que ter certos cuidados uns com os outros. A Campanha da Fraternidade deste ano falava sobre o cuidado de forma tão fantástica, e nós fomos chamados a ter este olhar com o irmão, cuidando de si e dos outros, como um Dom precioso do Senhor.

Padre Osmar fez ainda uma analogia entre o atual momento e um barco passando por um mar agitado. “Quando estamos em uma tempestade a nossa vontade é de que a tempestade passe logo, mas como diz um ditado popular: mar calmo não faz bom marinheiro. É preciso também aprender com as tempestades, e aprender a enfrentá-las é fundamental.”

Para ele, “ajustar as velas na hora certa e saber que as ondas mais difíceis vão passar” é uma forma de nos reinventarmos diante dos novos desafios. “Talvez, para aliviar a embarcação, teremos que jogar algumas cargas pesadas fora, alguns planejamentos que tínhamos, e aprender outros mecanismos. Tenho visto tantos irmãos presbíteros se renovando e reinventando, aprendendo a usar estes meios de comunicação. É maravilhoso ver como estamos encontrando saídas, porque queremos ser uma igreja inserida e em saída ao encontro dos irmãos. ”

E completou: “tenho uma palavra para você que é coordenador de catequese: não deixe ninguém sozinho e isolado. Procure se comunicar com eles, forme grupos de WhatsApp, troque experiência. Não deixe ninguém desanimado, pois quando a tempestade passar, queremos contar com cada um de vocês para ir buscar nossos catequizandos. Aprendendo com a lição da tempestade, pois não há tempestade que dure para sempre, a bonança vai chegar e nós teremos uma nova oportunidade de colocar em prática tudo aquilo que estamos vivendo, a duras penas, é claro, mas vamos colocar em prática as saídas que estamos encontrando.”

Evangelizando em meio aos desafios

Após a fala do Padre Osmar, foi a vez do Padre Gleydson  falar sobre este novo período. “Neste tempo de pandemia, somos chamados a pensar: O que podemos fazer por isso? Diante desta realidade, é preciso que nos questionemos sobre qual é a catequese que estamos buscando, o que entendemos efetivamente por catequese e, inclusive, seria importante nos perguntar sobre qual catequese estamos abrindo mão neste tempo de pandemia. ”

Padre Gleydson destacou ainda que os trabalhos missionários continuaram, mesmo durante esse período de isolamento social. “Muitas vezes nós podemos pensar que a catequese não existe neste momento, mas, na verdade, não é isso. A catequese existe e tem chegado aos nossos catequizandos, nas realidades mais distantes de nossa Arquidiocese, por aqueles que a fazem acontecer, que são os nossos catequistas. ”

Para o Sacerdote, a catequese vai além do saber, pois ela nos leva até a verdade da fé trazida pela Igreja. “A catequese não é apenas um saber sobre. Se entendermos a catequese apenas como um saber sobre, aí sim ela ficou completamente perdida neste tempo. Porém, sabemos que a catequese é muito mais do que isso, ela é uma vivência que transforma tudo o que somos, através da pessoa de Jesus. Então, é Jesus que vem até nós, através da Igreja, é a Igreja que recebe o que chamamos de cuidado da fé, e a fé que o Senhor nos deixou chega através da Igreja. A catequese é este caminho, para nos tornarmos cada vez mais discípulos de Jesus.”

Criatividade e novos métodos de Evangelização

A catequista Wal Barbosa fez uma reflexão sobre os desafios deste novo tempo. “O primeiro é: como eu, sendo catequista, percebo este momento em que estamos vivendo?  Qual a leitura que eu faço diante desta missão que nos foi dada por Deus para ajudar as crianças, jovens e adultos a fazerem o seu percurso e sua formação cristã? Como eu me vejo diante do desafio de anunciar o Evangelho em meio às circunstâncias que o isolamento social nos coloca? ”

Com as dúvidas imposta pela pandemia, Wal disse que todos esperavam que a crise provocada pelo Covid-19 seria por tempo muito limitado. “Passamos por um período de adaptação e de acomodação. Ficamos na expectativa de que este tempo de distanciamento seria determinado, mas percebemos que, diante da situação, permaneceríamos neste distanciamento por um bom tempo. ”

Para se adaptar, o núcleo de catequese da Paróquia São Geraldo decidiu criar um blog para o compartilhamento de reflexões, com o objetivo de despertar em todos o apelo à evangelização. “A coordenação da catequese paroquial, apoiada pelo Pároco, Padre Tarcísio, criou um blog que nos possibilita a interação entre catequistas, catequizandos e suas famílias. Neste blog as catequistas postarão proposta de oração e reflexão. Cada final de semana uma catequista irá preparar e apresentar a proposta para o blog. Não é cada catequista com sua turma, mas cada catequista fazendo uma publicação para que todos os catequizandos e suas famílias tenham acesso a este material.” Para acompanhar as postagens basta acessar o site catequesesaogeraldojf.blogspot.com/

Revivendo os sinais da fé

Durante a live, Padre Emerson realizou diversas fala a respeito da catequese. Lembrou-se, inclusive, de uma do Padre Geraldo Dondici sobre o lema de nossa Arquidiocese: “Proclamai o Evangelho pelas ruas e sobre os telhados”. “Padre Dondici dizia que proclamar pelas ruas pode ser traduzido como proclamar no interior dos corações. Esta é a missão da catequese fundamentalmente, a mensagem de Jesus e o tesouro inesgotável da fé da Igreja. ”

Além disso, Padre Emerson falou sobre o plano de Evangelização catequética, proposta pelo Arcebispo, Dom Gil, para este período de pandemia. “Nós temos um projeto a partir desta realidade em que vivemos, Dom Gil nos pediu para traçarmos um itinerário de fé, para caminharmos juntos neste tempo, sermos família de Deus.”

O sacerdote destacou que os catequistas são peças fundamentais para que este conteúdo chegue a todos os corações. “Vocês serão os maiores partícipes deste projeto, pois farão acontecer conosco. O nome do projeto é “revivendo os sinais da fé”, para bebermos então do esplendor da fé da Igreja, que é um tesouro inigualável, que podemos sem dúvidas rever, reviver e trazer ao coração esta força sacramental que nos deixa de pé, que nos faz discípulos e missionários de Jesus Cristo.”

A live completa pode ser assistida através do facebook.com/arquidiocesejf.

Conteúdo Relacionado
X