Juventude Arquidiocesana se reúne na 14ª Via-Sacra

Milhares de jovem participaram da última edição da Via-Sacra Jovem
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Penitência e oração a caminho da conversão. Assim foi a 14ª Via-Sacra Jovem, realizada no último domingo (05), reunindo cerca de 5 mil jovens da Arquidiocese de Juiz de Fora. Nem o calor intenso espantou os fiéis que, à luz da tradição quaresmal, relembraram os passos percorridos por Jesus até o Calvário, inspirados pelo tema que rege o Ano Vocacional no Brasil: “Corações ardentes, pés a caminho” (Lc 24, 32-33).

A concentração começou às 8h na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, na Cidade Alta, onde foi celebrada a Santa Missa, presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira. Em seguida, os jovens deram início à Via-Sacra, rezando, meditando as 14 estações da Paixão de Jesus e caminhando rumo ao Morro do Cristo. A relíquia da Beata Isabel Cristina, protetora da juventude e dos universitários, percorreu todo o trajeto desde a igreja até a subida do monte, tornando a ocasião ainda mais repleta da graça divina.

No encerramento do evento, Dom Gil agradeceu a presença de tantos jovens, vindos de diversas paróquias de Juiz de Fora e cidades vizinhas, e a colaboração das pessoas que ajudaram na organização da Via-Sacra. “Eu quero agradecer a Deus as bênçãos imensas que Ele nos dá nessa Via-Sacra anual da juventude e pedir a Deus que abençoe todos aqueles que prepararam esse momento. Dá trabalho para muita gente, mas eles fazem com entusiasmo e muito espírito de fé.”

O Pastor Arquidiocesano valorizou a força do rosto jovem em nossa Igreja Particular. “A juventude é o presente e o futuro da Igreja. Cada ano a gente vê que os jovens aumentam em número e entusiasmo nessa Via-Sacra. Eu vejo isso como um grande dom de Deus para a nossa Arquidiocese de Juiz de Fora que, através desse momento, evangeliza os jovens, anima os grupos e leva a Palavra de Deus à juventude e suas famílias”, pontuou Dom Gil.

Relíquia de 1º grau da Beata Isabel Cristina

De acordo com o Vigário Episcopal para a Juventude, Padre Ivair Carolino, o momento foi de grande expectativa para toda a Arquidiocese neste ano preparatório para o centenário diocesano. Além disso, ele explicou que a presença da relíquia de Isabel Cristina na Via-Crúcis representou o testemunho de santidade que deve servir como exemplo para os jovens. “Encerramos a Via-Sacra sob o olhar da nova Beata da Igreja, Isabel Cristina, patrona da juventude e dos universitários, e vamos, enquanto juventude, nos inspirar nela, buscando servir a Deus, principalmente os pobres, e acima de tudo, guardando os valores da fé e da vida”, afirmou o Vigário.

Vivência espiritual na Quaresma

Celebrando o momento quaresmal, milhares de jovens vivenciaram intensamente o exercício espiritual. Muitos deles já participaram das edições anteriores, como foi o caso do grupo “Força Jovem Cristã”, da Paróquia São Joaquim e Santa Ana, em Santos Dumont (MG), que esteve presente na primeira edição da Via-Sacra Arquidiocesana, mesmo ano da fundação do grupo. “É sempre uma experiência maravilhosa estar em contato com a juventude, jovens de outras paróquias com outras realidades. É também um momento de mais interiorização e espiritualidade para chegarmos bem preparados na Páscoa”, pontuou a coordenadora da turma jovem, Elaine Soares.

Entusiasmado com a ocasião, Luís Gustavo Resende, acompanhado de mais 20 jovens da Comunidade Santa Maria Eterna, da Paróquia São Sebastião, em Humaitá (MG), comemorou a oportunidade em participar, mais uma vez, da subida ao Morro do Cristo. “É com muita alegria que participamos da Via-Sacra. É o quarto ano que viemos com a nossa galera e a gente espera poder seguir os passos de Jesus com essa caminhada.”

Exaltando o rosto jovem da Igreja viva de Jesus, João Vítor da Silva, coordenador do Movimento Eucarístico Jovem, da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no bairro Linhares, ressaltou a importância em participar intensamente da vivência espiritual proporcionada pela Via-Sacra. “É um momento de penitência, principalmente para o nosso grupo que é formado na maioria por adolescentes. Então, é o começo da caminhada deles na Quaresma.”

Grupo Seguindo os Passos de Jesus , da Paróquia Nosso Senhor dos Passos – Rio Preto (MG)

Enquanto muitos já estiveram nas edições anteriores, outros jovens viveram, pela primeira vez, a experiência espiritual na Via-Sacra da Juventude Arquidiocesana. É o caso de Pedro Simões, de Rio Preto (MG), que esteve presente juntamente com uma turma de aproximadamente 30 jovens da Paróquia Nosso Senhor dos Passos. “Nosso grupo é recente e estamos aqui pela primeira vez. É com muita alegria e esperança que participamos da 14ª Via-Sacra Jovem. É uma bênção para todos nós. É uma preparação necessária para a Páscoa, estar mais junto de Deus, fazer esse tempo de conversão”, contou o peregrino.

De acordo com os seminaristas do Propedêutico, a 14ª edição da Via-Sacra Jovem ficará marcada em suas vidas pessoais e na trajetória formativa. “Viver a Via-Sacra pela primeira vez como seminarista foi um momento inesquecível, pois tem um momento de oração, de reconciliação e de penitência. Subir o Morro rezando, junto com os outros, debaixo de sol quente é um momento inesquecível”, revelou Rodrigo Schimel.

O chamado conta com esperança e perseverança

Sustentados pela oração e os corações ardentes repletos de alegria e animação, os jovens permaneceram fiéis à proposta quaresmal, o que tornou a subida ao Morro do Cristo, com duração de cerca de duas horas, mais amena. Nessa caminhada de fé, eles provaram que a perseverança é a chave que move o jovem em sua caminhada cristã na Igreja. A meditação da Via-Sacra da Juventude Arquidiocesana foi uma oportunidade de reafirmar que não há caminho melhor que o da Salvação.

Animação e alegria marcaram a primeira etapa da caminhada

Nesse sentido, as jovens Ester Fontes e Ana Luísa Almeida, da Paróquia Santa Cruz, no bairro Bandeirantes, relataram a dificuldade em retomar o movimento jovem na Igreja após a pandemia da Covid-19 e a esperança depositada no testemunho divino. “Depois da pandemia parou muito o movimento jovem. Esperamos que a Via-Sacra dê uma animada nesses jovens para que continuem na caminhada de fé”, estimaram as meninas.

O Assessor Arquidiocesano da Pastoral Juvenil, Padre Robert Teixeira, comentou sobre a resposta dada pelos jovens ao convite do evento e do chamado. “Ao final da Via-Sacra o que passa no coração é o sentimento de gratidão, de ver como os jovens se mobilizaram, corresponderam a esse convite de estar juntos. Graças a Deus aqui estamos neste dia, esse grande presente. Que cada vez mais eles se sintam impulsionados a caminhar, cada vez mais juntos, que é o nosso desejo: de ter uma juventude viva, alegre e de corações ardentes e pés a caminho”.

*Colaboração: Brenda Melo – Folha Missionária

Veja Também