Igreja na RCA investe na formação profissional de jovens

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

“A Igreja quer formar jovens e cidadãos do amanhã, capazes de participar ativamente na construção e desenvolvimento do país”. Palavras do arcebispo de Bangui, cardeal Dieudonné Nzapalainga, ao falar sobre a intenção que impulsionou a Igreja Católica a construir o novo centro de formação técnica e profissional São José, chamado “Maison de l’Espoir”.

O local onde o complexo formado por 4 prédios será construído em Kpalongo – a quinze quilômetros da capital da África Central – foi visitado pelo purpurado, acompanhado pelo presidente da República, Faustin-Archange Touadéra, e pelo ministro interino do ensino primário, Jean-Jacques Sanze, para a cerimônia do lançamento da pedra fundamental da importante estrutura.

Parceria Estado-Igreja

 O complexo terá capacidade para formar cento e cinquenta jovens, divididos em três seções de cinquenta alunos cada, com ênfases técnicas e profissionais bem definidas: carpintaria, mecânica e construção. O dormitório, que terá capacidade para abrigar cinquenta jovens, será construído em colaboração com o Estado e confiado aos padres franciscanos.

O presidente Touadéra reiterou “a grande importância de contribuir para a formação, a integração e emprego dos jovens em nossa sociedade”. O cardeal Nzapalainga, por sua vez, em declarações divulgadas pela Agência Fides, recordou as condições críticas em que a população foi obrigada a viver desde o início da crise em 2013.

Acentuando “os grandes desafios que temos pela frente, os problemas de qualificação e integração dos jovens na vida ativa”, o purpurado observou que a situação mais alarmante encontra-se nas áreas rurais, onde vivem dois terços das crianças que estão fora do sistema escolar.

O desafio da educação

 Na República Centro-Africana, a população sem educação excede um milhão de indivíduos, e destes, mais de setecentos mil são jovens entre as idades de 15 e 25 anos. Ademais, denunciou o cardeal, “23% dos cidadãos em idade de trabalhar não receberam educação”.

Para enfrentar esta emergência, Dom Nzapalainga anunciou a construção de uma escola primária no sétimo distrito eleitoral de Bangui, o enésimo trabalho realizado pela Igreja Católica, no esforço para possibilitar à República Centro-Africana “um futuro livre, justo, vivesse em paz e unidade”.

A falta de educação e formação e de perspectivas futuras para os jovens, contribui para aumentar o desemprego, a criminalidade, as tensões sociais e o risco de muitos deles serem recrutados por grupos armados.

Durante a cerimônia, o cardeal Nzapalainga mencionou a recente visita pastoral à Diocese de Bambari, nordeste do país, recordando que aquela parte do território está nas mãos dos rebeldes e as dificuldades que tantos fiéis têm de enfrentar: em alguns povoados há falta de professores e nem todas as crianças recebem educação básica de seus pais; em muitos casos, são abandonados a si mesmos e vítimas de várias doenças de difícil tratamento, uma vez que as unidades de saúde estão em condições muito precárias.

Fonte: Site Vatican News

Veja Também