Finalizada mais uma etapa da missão de sacerdotes juiz-foranos em Brumadinho (MG)

0

Terminou na última quarta-feira (3) a segunda parte da “Missão Solidariedade Brumadinho” realizada pela Arquidiocese de Juiz de Fora na cidade da região metropolitana de Belo Horizonte, atingida pelo rompimento de uma barragem de mineração. Esta tragédia resultou na morte de centenas de pessoas, muitas delas ainda desaparecidas na lama, em muitas perdas materiais e danos ambientais imensuráveis.

Recebidos por sacerdotes e leigos que residem no local, os padres de Juiz de Fora, acompanhados do arcebispo metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, realizaram visitas nas quais tentaram levar conforto espiritual aos moradores. Esta fase da missão foi iniciada na sexta-feira (29), com a ida do Diácono Clesson Francisco Millen, e teve continuidade no domingo (31).

Em entrevista à Rádio Catedral, o Padre Welington Nascimento relatou a experiência. “A cidade está realmente muito triste. Era uma cidade alegre, turística, bonita e infelizmente agora é marcada pela dor da morte, pelos acontecimentos recentes que vitimaram tantas pessoas. Foi, sem dúvida, um momento de muita tensão e também de oração, pois é muito difícil a gente chegar numa casa e encontrar tanta tristeza. Pessoas honestas, trabalhadoras, pessoas de Deus que infelizmente estão sofrendo muito. Mas nós visitamos muitos lares levando a palavra de Deus, levando uma escuta amorosa. Foi sem dúvida confortante a nossa visita àquelas famílias”.

O Padre Erélis Camilo Rezende de Paiva também esteve em Brumadinho e contou as suas percepções. “O que eu pude perceber durante os dois dias em que estive lá foi um povo sofrido, mas que tem uma fé inabalável. Eu pude perceber pessoas que choram, sofrem a dor da perda dos seus entes queridos, mas aqueles que ainda não encontraram o corpo sofrem mais. O sofrimento deles é muito mais forte, muito mais intenso, porque sofrem duas vezes: primeiro pela perda, segundo pela impossibilidade de ter o último momento com seu ente querido e fazer para ele um sepultamento digno. Mas é um povo de fé, um povo que crê na ressurreição, que crê no nome de Jesus. Aprendi muito com eles a ter resignação com a vontade de Deus”.

O Padre Fernando Augusto Martins da Silva, que retornou a Juiz de Fora na terça-feira (2), também relatou à Rádio Catedral a sua experiência em Brumadinho e o que pôde observar. “Nas visitas que fizemos observei, por um lado, que dois meses após a tragédia ter acontecido, ainda existe uma marca profunda que acredito que demorará muito ainda para ser curada na vida das pessoas; muitos corações feridos, famílias dilaceradas, pessoas que perderam dois, três membros da família. É algo que tem sido para a população muito difícil de se reconstituir, de recomeçar. No dia a dia, todas as pessoas que lá moram e que a gente teve a oportunidade de conversar relatam como a rotina se modificou por causa dessa dor no peito que elas carregam”.

O sacerdote ainda frisou a importância da solidariedade humana em momentos como este, principalmente a ajuda espiritual. “Para a grande maioria das pessoas que são apoiadas, assistidas pelo trabalho voluntário, essa generosidade tem sido a força que ajuda a fazer com que, apesar de muitas noites sem dormir, de muitos dias difíceis que enfrentam, tenham uma nova esperança, um novo fôlego”.

O arcebispo e os padres da Igreja Particular de Juiz de Fora realizaram visitas e celebrações na cidade, nos bairros e na zona rural. Além das palavras de consolo, os religiosos levaram cartões com a “Bênção da Casa” para oferecer às famílias. Além dos padres Welington, Erélis e Fernando, estiveram em Brumadinho os padres Emerson de Assis Braz e Wesley Carvalho Neves.

Segundo Dom Gil, a Arquidiocese de Juiz de Fora tem uma programação para todos os meses de 2019. “A cada mês irão três ou quatro padres com alguns leigos para passar dias em Brumadinho, seja nas comunidades da cidade, seja nas da zona rural. É emocionante encontrar as famílias que perderam parentes e doloroso ver aquelas cujos corpos ainda não foram encontrados. Tudo por amor a Deus!”.

Sacerdotes de Juiz de Fora se encontram com clero de Divinópolis em Brumadinho

No dia 1º de abril, a Pastoral Presbiteral da Diocese de Divinópolis, coordenada pelo Padre Carlos Antônio, realizou um Dia Missionário em Brumadinho. A iniciativa contou com a presença de 34 sacerdotes e do Bispo Diocesano, Dom José Carlos Souza Campos.

Na ocasião, o arcebispo metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, encontrou-se com seu irmão, Padre João Luiz Moreira, pertencente ao clero de Divinópolis.

 

*Com informações dos sites da Rádio Catedral e da Diocese de Divinópolis

Conteúdo Relacionado
X