Fiéis recepcionam Padre Anchieta

0

No último domingo, 11 de agosto, o novo responsável pela Catedral, padre José de Anchieta Moura Lima, tomou posse. A igreja estava repleta de fiéis e a celebração foi presidida pelo arcebispo metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, e concelebrada por membros do clero arquidiocesano.

Além do administrador paroquial, padre Anchieta, o padre Geraldo Dondici Vieira tomou posse como Vigário Episcopal da Caridade e o monsenhor Luiz Carlos de Paula, que foi pároco da Catedral nos últimos 5 anos, também foi apresentado como vigário paroquial.

No início da celebração o arcebispo Dom Gil lembrou o Dia do Pais e convidou o pai do padre Anchieta, o senhor José Lopes que tem 88 anos, para se sentar no altar representando todos os pais presentes na igreja. “Que Deus abençoe neste dia todos os pais e rezaremos também pelos pais falecidos”.

Em entrevista, Dom Gil falou sobre esse momento de trocas de cargos na Arquidiocese. “Nós estamos hoje dando posse ao padre Anchieta, como administrador paroquial da Catedral, no lugar do monsenhor Luiz Carlos, que foi pároco por quase 6 anos, nós confiamos a ele a reitoria do Seminário Santo Antônio e ele como já era vigário geral, passa esse cargo de pároco da Catedral para o padre Anchieta, e continuará aqui como vigário paroquial para auxiliar. Estamos dando posse também ao padre Geraldo Dondici como vigário episcopal da caridade, dado que o padre Anchieta exercia essa função. Momento importante esse de trocas de cargos na Arquidiocese, novas fases, novos entusiasmos e novas bênçãos que surgem. A gente quer que o Nosso Senhor abençoe muito esses padres, que com toda disponibilidade e amor assumem hoje novas tarefas segundo a nossa nomeação”, afirmou.

Durante a celebração, padre Anchieta, padre Dondici e o monsenhor Luiz Carlos de Paula fizeram a renovação das suas promessas sacerdotais e sua profissão de fé diante do arcebispo. Padre Anchieta recebeu do dom Gil, em um ato simbólico, as chaves da igreja que agora está sob a sua responsabilidade, a chave do Sacrário, os Santos Óleos, a estola roxa, símbolo do seu serviço sacerdotal e os livros de tombo e de caixa da Catedral.

Em entrevista, padre Anchieta agradeceu o apoio dos fiéis, amigos e de seus familiares e falou sobre a sua expectativa com o trabalho a ser realizado. “Na realidade pra mim é um sentimento de muita preocupação e de muita responsabilidade, eu sempre coloco isso, porque eu considero a Catedral como uma paróquia tanto quanto as outras, lógico que está no centro da cidade, no coração da Arquidiocese e é a Igreja Mãe de todas as paróquias. Sei que é uma grande responsabilidade, mas sei também que tem uma equipe muito boa, fico muito feliz de poder contar com mais quatro padres, os vigários, com os funcionários que foram muito carinhosos e atenciosos comigo, fui acolhido muito bem, então estou me sentindo em casa”, declarou.

E completou, “A gente sabe do grande desafio que tem, sabemos também que Deus com a força da graça Dele vai nos ajudando para que a gente possa oferecer o melhor que puder.”

Foto: Cumprimentos dos fiéis ao novo pároco /Catedral JF

O sacerdote também falou sobre o seu espírito missionário e de acolhimento com as pessoas que mais sofrem. “Nesse trabalho que vou desenvolver aqui, quero me inspirar muito no padroeiro Santo Antônio, grande missionário, uma pessoa que realmente passou pela terra fazendo o bem como Jesus, deixou uma marca muito bonita. Nesse dia de hoje que a gente lembra de Santa Clara, companheira de São Francisco e, também de Santo Antônio, mais um motivo de fazer a Catedral uma igreja franciscana no sentido de acolhimento, samaritana e que vai ao encontro dos mais pobres, do povo, das pessoas que nos procuram”.

Fonte: Site da Catedral Metropolitana de JF

Conteúdo Relacionado
X