Fé e perseverança sustentaram da evangelização em 2020

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

No último ano iniciamos a vivência de um tempo de muitos desafios por conta da pandemia do novo coronavírus. No entanto, este tempo trouxe à tona a força da fé que a Igreja possui. Ciente de que, mais do que nunca, o mundo necessitava de esperança e de uma fonte de luz em meio à escuridão, a Evangelização continuou.

Mesmo fechadas, as Igrejas sempre estiveram em movimento. Com o apoio das novas tecnologias, elas foram se adaptando e até mesmo se reinventando para se tornarem verdadeiramente “Igreja em saída”, rompendo as barreiras do templo para chegarem à presença de milhares de templos vivos que se avivaram no lar e no coração de cada família cristã, levando a mensagem do Evangelho.

Ouvimos alguns relatos de grupos e movimentos sobre a perseverança na Evangelização, colocando em prática do lema do II Sínodo Arquidiocesano, “Proclamai o Evangelho pelas ruas e sobre os telhados” (cf. Mt 10, 27).

Paróquia São João Nepomuceno

Na Paróquia São João Nepomuceno, em São João Nepomuceno (MG), a comunidade iniciou, na Semana Santa, o trabalho de transmissões online, fazendo chegar a Palavra de Deus aos fiéis. Assim, em 2020, importantes momentos do calendário litúrgico católico, como Corpus Christi, e nas Festas Sinodal em honra a São João Nepomuceno, Santa Rita de Cássia e Santo Antônio, foram celebrados por meio redes sociais e da Rádio local.

Buscando a unidade e acolher os fiéis, em um gesto simbólico, a Paróquia celebrou a Missa do Padroeiro, no dia 16 de maio, contando com a “presença” dos paroquianos representados em fotografias coladas nos Bancos da Igreja Matriz. Um gesto simples, mas que aqueceu os corações, demonstrando que, mesmo distantes fisicamente, laços de fé unem a todos em oração a Jesus, que está atento aos nossos medos e angústias e não deixa nunca seus filhos desamparados.

Atualmente, a Paróquia está retomando gradualmente as suas atividades presenciais, recebendo, com medidas restritivas, os fiéis para as missas, na Igreja Matriz e nas demais comunidades, obedecendo aos protocolos de higiene e segurança e ao Decreto Municipal que flexibilizou a presença de certo número de público nas igrejas.

Conforme as palavras do Seminarista Gláucio Antônio Moreira, “todos nós passamos por dificuldades. O que é diferente uma das outras? A forma como nós as enfrentamos. Deus caminha conosco e está junto de nós o tempo todo, e isso não tem preço. Vivam com a alegria da presença do Senhor! Guardem isso. Ele é Deus; creia e não dê as costas para seus irmãos. Ele é o centro de tudo! Quando as forças estiverem quase se esgotando, o cansaço estiver tomando conta e a esperança diminuindo, faça essa oração e peça por uma Mão poderosa que está sempre estendida e pronta para te amparar e te colocar de pé”.

Renovação Carismática Católica (RCC)

Em Juiz de Fora, a Renovação Carismática Católica (RCC) tem se destacado pela perseverança desse trabalho.  Seus grupos de oração estão, de forma ininterrupta, realizando as transmissões online desde abril. Além do grupo, no ano passado foram realizados outros encontros, sempre visando a manutenção da unidade do movimento.

Para a coordenadora Arquidiocesana da RCC, Denise Aparecida, é possível extrair lições desse momento histórico de pandemia. “Esse tempo tem sido, podemos dizer, um tempo fecundo. O que para alguns pode parecer estranho, mas, na perspectiva da fé, enxergamos como um tempo de encontros; encontro conosco mesmos, com os outros e principalmente com Deus, que conduz seu povo ao deserto para lhe falar ao coração (cf. Os, 2,16). Tem sido também um tempo de grandes desafios, exigindo de todos nós criatividade na ação pastoral e evangelizadora, pois não se pode acorrentar a Palavra de Deus”.

Ela contou ainda que tiveram que aprender a lidar com as novas mídias, para usá-las; assim como diversos outros seguimentos da Igreja, que ainda não eram ativos nas redes sociais. Com uma nova forma e com ardor missionário, o movimento buscou evangelizar.  

Associação da Divina Misericórdia

Na Associação da Divina Misericórdia, em São João Nepomuceno, também foi necessário intensa reorganização, comprometimento e fé. O trabalho da obra se compreende na Evangelização através de Grupos de Oração, atendimento à dependentes químicos e seus familiares e o Projeto Semente, que assiste crianças em situação de risco e vulnerabilidade. Até o final do ano, o projeto atendia mais de 20 crianças, com assistência psicológica e pedagógica.

Segundo o diretor geral da associação, Weslei Vaz Esteves, a princípio, o medo e a dúvida invadiram seu coração. No entanto, eles se reinventaram. “A coordenação do Projeto Semente se reorganizou e, de maneira brilhante conseguiu alcançar as crianças que eram atendidas em nossa sede, com vários voluntários que “apadrinharam” os pequenos e pequenas; e com todos os cuidados e higienização, levaram até elas, atividades, brinquedos, alimentos para elas e suas famílias, e o principal: carinho e atenção nestes tempos tão difíceis de distanciamento social. Nenhuma criança ficou sozinha! Cada funcionário e voluntário se doou integramente!”.

Os momentos de espiritualidade – missas, terços, celebrações, os grupos de crianças e de jovens – passaram a ser transmitidos pelas redes sociais. “Facebook, Instagram e Youtube, se tornaram, como em muitos lugares, “ferramentas” de evangelização para fazer chegar a Palavra de Deus onde nós nem imaginávamos. E isto é só começo: vem muita coisa boa por aí!”, pontuou.

Para Weslei, o grande aprendizado é: “quando nos colocamos à disposição do Senhor, não existem barreiras para evangelizar pois é Ele quem realiza em nós “o querer e o executar” (Cf. Filipenses 2,13).Eis o nosso lema lançado no início desta mudança: Estamos longe, mas não estamos sozinhos! Temos uns aos outros, e temos todos ao Senhor, que cuida de nós!”.

Novo ano

Estes grupos, e toda a Arquidiocese, darão sequência a suas atividades ao longo do ano de 2021, adaptando suas atividades às orientações das autoridades. Tendo em mente o que a Palavra no diz: “pois vos é necessária a perseverança para fazerdes a vontade de Deus e alcançardes os bens prometidos.” (Hebreus 10, 36) e as orientações do Arcebispo de Juiz de Fora, “caminharemos em espírito de união, formando, construindo uma igreja em sinodalidade, sempre e ada vez mais missionaria”, como afirmou Dom Gil Antônio Moreira na ocasião do início das atividades do II Sínodo.

Colaboração: Pascom da Paróquia São João Nepomuceno

Veja Também