Dom Gil preside Missa do Quarto Domingo do Advento na Catedral

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

No Quarto Domingo do Advento foram celebrados dois acontecimentos importantes para a nossa Igreja Particular, em missa presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, na Catedral: a comemoração do seu 46º aniversário de Ordenação Presbiteral e a profissão pública na Fé Católica e Primeira Eucaristia de um professor de línguas Bíblicas (hebraico e grego) e ex-pastor protestante da Igreja Metodista, José Valadão Lopes Filho.

Em entrevista, Dom Gil falou sobre a liturgia do Quarto Domingo do Advento e sobre a profissão de fé pública do ex-pastor. “Na preparação para o Natal do Senhor, as figuras de São José e Nossa Senhora são os luminares para a nossa caminhada em busca do Emanuel que vai nascer, Jesus é Deus conosco. Tivemos a alegria de neste dia receber o professor José Valadão, que há algum tempo está fazendo a sua caminhada e estudo e hoje fez sua profissão de fé pública na Comunhão Católica. É uma alegria para a nossa comunidade arquidiocesana de Juiz de Fora e para a toda Igreja, no mundo inteiro. Temos muita alegria em receber esses irmãos que encontram o caminho de volta para a Igreja Católica.”

No aniversário de 46 anos de ordenação presbiteral, o Arcebispo também destacou a alegria de ter atendido a vocação religiosa para se tornar padre. “Sou muito feliz como padre. Nosso Senhor me deu essa grande bênção, sem merecimento, pois ninguém merece a vocação sacerdotal. Agradeço pelos 23 anos que fiquei como presbítero e agora mais 23 como Bispo. Peço perdão a Nosso Senhor pelas minhas falhas, que são muitas, mas agradeço também as graças que Ele me deu, que também são muitas. E peço a você que reze para que eu seja cada vez mais fiel ao Senhor, até o dia em que Ele me conservar aqui na terra”, completou.

O ex-pastor protestante José Valadão Lopes Filho falou sobre a sua volta para a Igreja Católica. “Eu estava estudando a língua latina e quando vi a Ave-Maria e Pai-Nosso resolvi parar para fazer uma pesquisa sobre a Virgem Maria. Comecei a baixar livros na internet e fiquei fascinado, até que eu não cheguei a vê-la, mas senti a presença real dela. Ela é a única responsável por eu estar aqui hoje. Eu estou muito feliz e satisfeito, me senti de volta em casa porque fui batizado aqui [na Igreja Católica] quando eu tinha 12 anos.”

*Fonte: Site da Catedral Metropolitana

Veja Também