Dom Gil participa de importantes reuniões da Comissão de Bens Culturais do Regional Leste 2

Foto: Leo Bicalho-Assessoria de Comunicação da Secretaria de Cultura e Turismo

Na última quinta-feira (23), a Comissão de Bens Culturais do Regional Leste 2 da CNBB se reuniu em Belo Horizonte (MG) para tratar de importantes temáticas acerca de suas atividades neste ano.

Pela manhã os membros estiveram em reunião na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes. O Presidente da comissão, Dom Geovane Luís da Silva, contou quais foram os principais assuntos abordados na ocasião. “Tratamos de duas questões importantes: o fortalecimento da comissão no regional –  hoje trabalhamos sobre o texto do regimento interno desta comissão, que prestará um serviço importante para a Igreja; e também definimos que, neste ano, vamos participar do Congresso Internacional de Bens Culturais, que será realizado no Estado de Minas e, assim, estabeleceremos uma parceria com a Secretaria Estadual de Cultura”.

Na parte da tarde, o Arcebispo de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, membro da comissão, foi ao Palácio da Liberdade, juntamente com Dom Geovane, para encontrar a equipe da Secretaria Estadual de Cultura para debater sobre questões relacionadas à salvaguarda dos bens culturais da Igreja e também do turismo religioso.

Segundo o Secretário de Estado de Cultura e Turismo do Governo de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, o objetivo foi estruturar, junto à Igreja, políticas públicas para conservação, restauração e a manutenção dos bens culturais sacros.

Dom Gil explicou que o principal assunto foi um projeto de proteção dos elementos da fé, da cultura e da religiosidade popular em Minas Gerais. “Há um projeto [de interesse da Igreja] chamado ‘Minas Santa’ para proteger os elementos da Semana Santa, aqueles elementos que nós não podemos perder pelo seu valor sacro, mas também pelo valor até turístico, porque o turismo também é um meio de evangelização”.

A Comissão de Bens Culturais do Regional Leste 2 já existe há quase 15 anos. “Ela tem procurado formar pessoas capacitadas para poder cuidar dos bens culturais e orientar as futuras produções artísticas, arquitetura e arte sacra em geral, para proteger àquilo que a Igreja tem desde o começo, que é a evangelização através da beleza, através da arte sacra”, comentou o Pastor da Igreja de Juiz de Fora.

Dom Gil e Dom Geovane com a equipe da secretaria de cultura e turismo do estado/Foto: Leo Bicalho – Ascom

*Com informações de WebTv A Voz Católica

Veja Também