Dom Gil encerra tríduo de São Vicente de Paulo na SSVP

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

No dia em que a Igreja celebra festa de São Cosme e São Damião, 26 de setembro, o Arcebispo Metropolitano esteve na Capela São Vicente, localizada no Conselho Central Diocesano da Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP), para celebrar o último dia do tríduo preparatório do patrono da obra.

A Eucaristia, concelebrada pelo Padre Luiz Carlos Vitório, foi marcante para os vicentinos devido aos 150 anos do início dos trabalhos da SSVP no país. Para Dom Gil Antônio, que sempre faz questão de lembrar que foi confrade em sua juventude, este é o tempo ideal para cada um avaliar se está sendo bons confrades e boas consócias. “ Jesus valoriza o bem e um confrade faz o bem sem olhar a quem”, recordou ele.

Exemplo da caridade

Assim como seu patrono, São Vicente, a SSVP é referência no trabalho de caritativo. “Quanta caridade tem sido praticada no Brasil pelos confrades, pelas consócias durante esses 150 anos?! Só Deus sabe quantos são aqueles que deram a sua vida pela caridade no escondimento, na simplicidade, no serviço ao pobre ao necessitado. Então me alegra de estar aqui celebrando com os muitos Vicentinos da nossa arquidiocese de Juiz de Fora”, afirmou Dom Gil em entrevista.

A primeira conferência do Brasil foi a Conferência de São José, no Rio de Janeiro, no dia cinco de agosto de 1872. Depois delas milhares de conferências foram surgindo em todo território nacional para acudir o pobre. De lá para cá, a Sociedade cresceu tanto que atualmente o Brasil é o maior país vicentino do mundo. São mais de 15 mil Conferências e mais de 120 mil confrades e consocias espalhados por todo o país.

Desafios atuais

Durante o tempo da pandemia, como todos seguimentos da sociedade, muitas perdas se abateram. Além disso, na arquidiocese, a organização passa por dificuldades de renovação dos vicentinos. Como tudo isso, o número de conferencias e confrades na Igreja de Juiz de Fora diminuiu.

O Pastor Arquidiocesano pediu, durante a homilia, que os vicentinos são se deixassem abater. Retomando a leitura do dia, pediu que todos fossem fieis como Jó. “A primeira característica do vicentino é saber que mesmo que aconteçam as piores coisas na nossa vida, não vamos perder a fé. Ele nunca abando o Senhor, pois sabe que sem Deus, nada somos”, completou ele.

Homenagem

Em meio aos agradecimentos e preces ao pai dos pobres, a Vice-Presidente do Conselho Nacional do Brasil da Sociedade de São Vicente de Paulo (CNB/SSVP), Csc. Elisabete Maria Castro, aproveitou a ocasião para entregar ao Arcebispo de Juiz de Fora uma medalha comemorativa pelos 150 anos da Sociedade São Vicente de Paulo no Brasil.

“Nós fizemos poucas unidades e estamos homenageando algumas pessoas, dentre elas o Dom Gil, um confrade amigo e pastor, que dá todo apoio a sociedade de São Vicente de Paula”, explicou ela.

Entre os contemplados pelas medalhas entre os ex-presidentes do Conselho Nacional do Brasil, assessores espirituais e lideranças atuais da Sociedade São Vicente de Paula, e os Bispos de Aparecida (SP) e de Paracatu (MG).

No dia de São Vicente a programação festiva é extensa, confira: clique aqui.

Veja Também