Dia de oração pela reunificação das duas Coreias acontece neste domingo

Foto: Pixabay
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

No próximo domingo, dia 15 de agosto, será o “Dia anual de Oração ecumênica” pela reunificação das duas Coreias. O evento é promovido todos os anos pelo Conselho Nacional das Igrejas Coreanas. Ele acontece em comemoração ao “Dia da Libertação da Coréia” do domínio japonês, em 1945.

Naquela ocasião, o país se dividiu em duas áreas distintas, ao longo do paralelo 38. Mais tarde, os locais se tornaram dois Estados independentes. Tal divisão foi sancionada pelo armistício que, em 27 de julho de 1953, pôs um ponto final à sangrenta Guerra da Coréia (1950-1953). O período continua sendo uma ferida aberta para todo o povo coreano.

Por isso, as Igrejas na Coréia do Sul celebram este aniversário, todos os anos, com uma “Oração especial pela paz e a reunificação das duas Coreias”.

O Conselho Mundial de Igrejas (CMI) une-se à celebração. Seus membros são convidados a traduzirem o texto, em seus respectivos idiomas, e compartilhá-lo com suas comunidades.

Pesar dos coreanos pela divisão

O “Dia de Oração” recorda o pesar dos coreanos pela “ferida da divisão”. Esta foi causada por ideologias, que semearam ódio. Ainda hoje estes sentimentos são alimentados por forças, também externas, que “bloqueiam os passos no caminho da paz”.

Daí a invocação a Deus para ajudar os coreanos a superarem seus conflitos ideológicos “com o amor de Cristo”. Somente assim será possível “derrotar as forças do mal, que bloqueiam o caminho da paz”. A oração dá às igrejas coreanas “a força e a coragem para guiar o povo rumo à paz e a reconciliação”.

A Oração se concluirá “pela intenção da paz e da reunificação da Península, não como uma opção, mas como uma meta desejada, à qual os Coreanos são chamados a chegar”. “Apesar de o arame farpado da divisão nos tenha dilaniado, saibamos que o nosso espírito e os nossos corações estão unidos no Senhor”.

Igreja na Coréia do Sul

A reconciliação da nação é também um tema central para a Igreja Católica na Coréia do Sul. Em 1995, a Igreja instituiu uma Comissão Episcopal especial com esta finalidade.

Entre as suas numerosas iniciativas, organizadas ao longo dos anos, destacam-se algumas. São elas: celebrações Eucarísticas, novenas e orações, entre as quais o Jubileu da Reconciliação Nacional em Chunchon, celebrado em junho de 2000; a ajuda concreta à população norte-coreana, atingida pela fome, na década de 1990, e um intenso esforço de conscientização e informação dos fiéis sobre o tema da reunificação.

Enfim, os bispos coreanos sempre defenderam a causa da reconciliação dos dois governos, sobretudo, nos momentos de maior tensão entre Seul e Pyongyang.

A “Oração pela Reconciliação e a Paz” entre as duas Coreias foi um dos principais motivos da Viagem apostólica do Papa Francisco ao país, em 2014, por ocasião da sexta Jornada Asiática da Juventude.

Fonte: Site Notícias Canção Nova

Veja Também