Dia da Vida Consagrada: a intenção de oração do Papa e a mensagem de coragem da Presidente da CRB

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A Igreja celebra, neste 2 de fevereiro, a Festa da Apresentação do Senhor e o Dia da Vida Consagrada. Para a data, foram dedicadas intenções de oração, reflexões sobre a missão no mundo atual e mensagens de ânimo para os milhares de consagradas e consagrados em institutos religiosos, monásticos, contemplativos, nos institutos seculares e “novos institutos”, membros do ordo virginum, eremitas e membros de sociedades de vida apostólica.

A presidente da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), Irmã Maria Inês Ribeiro, divulgou uma mensagem em vídeo na qual reflete sobre a celebração desta quarta-feira, relacionando com as celebrações de Nossa Senhora da Candelária e da Apresentação do Senhor, e as figuras da luz e da oferta. Em sua reflexão, ela destacou três pontos: o empenho dos consagrados do Brasil no processo sinodal; a comunhão com todos os que sofrem “o flagelo da fome, do desemprego, da covid-19 e da instabilidade democrática no nosso país”; e a reflexão sobre a “Ressignificação da vida religiosa consagrada”, em vista da 26ª Assembleia Geral eletiva da CRB, marcada para 19 a 22 de julho de 2022.

“É um apelo criativo a repensar a nossa animação, a nossa organização e projeção rumo aos 70 anos da Conferência dos Religiosos do Brasil. Deus pede que bebamos da seiva que alimenta a fraternidade, a solidariedade e a missão carismática de nossos institutos”, afirmou.

Não se pode compreender a Igreja sem elas

O Papa Francisco dedicou a intenção do Apostolado da Oração deste mês de fevereiro às religiosas e consagradas. Neste recorte especial às mulheres religiosas e consagradas, Francisco parte da valorização de sua presença na Igreja: “O que seria da Igreja sem as religiosas e as leigas consagradas? Não se pode compreender a Igreja sem elas”. Francisco agradeceu “por quem são, pelo que fazem e pelo modo como o fazem”.

“Encorajo todas as consagradas a discernir e a escolher o que convém para a sua missão diante dos desafios do mundo em que vivemos. Exorto-as a continuar trabalhando especialmente junto dos pobres, dos marginalizados, de todos os que estão escravizados pelos traficantes; peço-vos especificamente que atuem sobre estes problemas”, motivou.

O convite à oração é para “que mostrem a beleza do amor e da compaixão de Deus como catequistas, teólogas, acompanhantes espirituais”. Às religiosas, o pontífice convidou para que lutem quando forem tratadas injustamente, mesmo dentro da Igreja, quando o serviço feminino, “que é tão grande, é reduzido à servidão. E às vezes por homens da Igreja”.

“Não desanimem. Continuem dando a conhecer a bondade de Deus através das obras apostólicas que fazem. Mas sobretudo, através do testemunho da consagração. Rezemos pelas mulheres religiosas e consagradas, agradecendo-lhes a sua missão e a sua coragem, para que continuem a encontrar novas respostas aos desafios do nosso tempo”, incentivou o Papa.

*Fonte: Site da CNBB

Veja Também