Coordenadora Arquidiocesana da Pastoral do Menor é eleita para coordenar Região Sudeste

*Foto: Site da Pamen Nacional
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A Pastoral do Menor (Pamen) realizou, entre os dias 7 e 10 de novembro, em Belo Horizonte (MG), a décima primeira edição de sua Assembleia Nacional. O evento foi regido pelo tema “Fome de Pão, fome de justiça… você tem fome de quê?” e pelo lema “Dai-lhes vós mesmos de comer” (cf. Mt 14,16).

O evento reuniu a mais alta instância deliberativa da Pamen para definir prioridades para as atividades pastorais do próximo triênio (2024-2026) e também eleger as coordenações regionais, de região e nacional, além de promover um encontro nacional de comunhão, reflexão e fé na missão que é estar a serviço das crianças e adolescentes do Brasil. A Arquidiocese de Juiz de Fora foi representada pela Coordenadora Arquidiocesana da Pamen, Alessandra Cristina de Castro – que é a coordenadora da pastoral no Regional Leste 2 da CNBB – e pelo educador Danilo Viturino. Na ocasião, Alessandra foi eleita para coordenar também a Região Sudeste da Pastoral do Menor, que compreende os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo.

Participaram cerca de cem pessoas representantes da Pamen, entre agentes, coordenadores(as), representantes de famílias, adolescentes, articuladores e agentes/educadores do Projeto Escola de Cidadania Dom Luciano Mendes de Almeida (EDC). Também estiveram presentes os membros do Conselho e da Coordenação Nacional da Pastoral e o Bispo Referencial, Dom Luiz Fechio. Nesta edição da Assembleia ainda foi deliberada a participação dos adolescentes como delegados, ou seja, com direito a voz e a voto, nas decisões da gestão da Pamen, assim como a participação de representantes das famílias de crianças e adolescentes atendidos pelas ações pelo país.

Também foi vivenciado um encontro intergeracional inédito entre agentes, adolescentes e representantes de famílias, com atividades coletivas, mas também específicas, com o objetivo de formar para a cidadania e o protagonismo as crianças, adolescentes e famílias atendidos pela Pamen no Brasil para que, como sujeitos de direitos, possam participar e incidir politicamente, sendo protagonistas na luta pela proteção integral e pela promoção, proteção e garantia dos direitos de crianças e adolescentes no país, alinhados ao projeto Encanta Política, desenvolvido pela CNBB.

*Com informações do site da CNBB

Veja Também