Comunicação da JMJ 2019 apresenta primeiros números do evento

0

A Jornada Mundial da Juventude Panamá 2019 está próxima. Na terça-feira (11), em um encontro organizado pela Associação Iscom, no NH Collection Roma Centro, em Roma, foram apresentados à imprensa os primeiros números deste grande evento.

Segundo o diretor de comunicação da JMJ, Giancarlos Candanedo, são esperados para o evento mais de 200 mil inscritos dos cinco continentes. Destes, 37 mil já completaram os procedimentos oficiais, e outros 168 mil estão concluindo. Para Candanedo, muitos jovens comparecerão sem inscrição.

São 155 os países envolvidos até agora. Mais de 37 mil voluntários estão comprometidos na logística, assistência e preparação: muitos vêm do Brasil, da Costa Rica, mas também da França e da Polônia. “Será uma grande festa de fé”, reafirmou Dom José Domingo Ulloa, Arcebispo do Panamá, que, respondendo às perguntas dos jornalistas, confirmou a centralidade do tema imigração na JMJ: “É um tema que não pode deixar de ser caro à Igreja, pelo sofrimento e pela dor que muitas pessoas vivem”, afirmou.

Dom José Ulloa recordou a caravana de milhares e milhares de migrantes de Honduras, El Salvador e Guatemala em direção dos Estados Unidos. “Esperamos o Papa e a esperança que ele levará para toda a América Central. Os jovens serão chamados a serem protagonistas da mudança”, comentou. Criando uma ligação com o recente Sínodo da Juventude realizado no Vaticano, o bispo indicou o “sim” incondicional de Maria como o caminho para construir um mundo diferente.

O prelado, salientando que a Igreja Centro-americana é “uma Igreja de Martírio”, mostrou a necessidade dos jovens terem modelos críveis e indicou a força, a beleza, a determinação e o testemunho de muitos Santos entre os quais Oscar Arnulfo Romero, Rosa da Lima, José Sánchez del Rio, João Paulo II. Ele confirmou que o Papa vai encontrar todos os bispos: “Será um momento para colher seus sentimentos”.

No encontro, foi informado que a Igreja local também está se esforçando para ajudar os jovens que não têm recursos econômicos a participar da JMJ. “Muitas famílias hospedarão os peregrinos precisamente porque a chave é compartilhar”, afirmou Dom José Ulloa.

A JMJ será precedida pelo Encontro Mundial de Jovens Indígenas, que já tem confirmada a participação de mais de mil indígenas de várias partes do mundo que participarão do Encontro Mundial da Juventude Indígena, que começará três dias antes da JMJ.

A embaixadora do Panamá junto à Santa Sé, Miroslava Rosas, sublinhou o grande esforço organizativo do governo: “Um pequeno país pronto para uma grande acolhida”. No final do encontro desta terça-feira, 11, os organizadores apresentaram a hospitalidade panamenha por meio de canções e danças tradicionais locais.

*Fonte: Site da Canção Nova

Conteúdo Relacionado
X