Com ajuda de devotos, Santuário Nacional amplia amparo a população durante a pandemia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A história de dedicação do Santuário Nacional à assistência social já possui quase 100 anos. Foi Santa Paulina quem fundou junto aos Missionários Redentoristas, em 1923, o primeiro espaço de acolhida aos necessitados em Aparecida (SP). Atualmente, 21 obras, projetos e convênios ligados à Basílica Nacional atendem gestantes, crianças, jovens, adultos e idosos. Ao todo, 94 mil pessoas ao ano são beneficiadas direta ou indiretamente pela ação caritativa mantida pelo principal centro de peregrinações religiosas do Brasil, mantida pela Família dos Devotos.

Durante a pandemia do coronavírus, além do auxílio dado pelos fiéis, diversas ações possibilitaram a expansão do suporte social dado pelo Santuário a moradores de Aparecida e de municípios da região. No início do mês, 1.070 cestas básicas foram doadas ao Serviço Social do Santuário. Os donativos anônimos foram distribuídos aos atendidos pelo Centro de Assistência Social Santíssimo Redentor, Centro de Assistência Social São Geraldo, Projeto de Educação Musical do Santuário de Aparecida (PEMSA), Casa do Pequeno e APAE.

Mesmo sem atividades presenciais durante a pandemia, os nove projetos sociais mantidos pelo centro de peregrinação mantiveram seu suporte aos atendidos. Mensalmente, cerca de 500 cestas básicas são entregues aos integrantes, garantindo alimentação básica de qualidade. O mesmo número de cestas também é entregue todos os meses para entidades do município e região.

O auxílio do Santuário não se restringe apenas aos projetos mantidos por ele. Os donativos também são direcionados a moradores de Aparecida e região que procuram o Serviço Social do templo em momentos difíceis. Embora a prática já fosse comum antes mesmo da pandemia, ela foi ampliada durante este período.

Além da ajuda direta às pessoas, a Basílica também auxilia na manutenção de obras sociais do Vale do Paraíba. Mais de dez instituições da região recebem, por meio de convênio filantrópico, repasse financeiro mensal para manutenção de suas atividades.

Entre as elas, está a Santa Casa de Aparecida. A entidade recebe mensalmente recursos da Basílica, que auxilia de 35% a 40% de todo o valor necessário para cobrir os gastos da instituição, responsável pelo atendimento de munícipes da Terra da Padroeira do Brasil e das cidades de Roseira e Potim.

Além do conforto material, mesmo durante a pandemia o Santuário Nacional continua oferecendo conforto espiritual aos devotos, já que a Basílica de Nossa Senhora Aparecida permaneceu sempre aberta todos os dias para a oração individual dos peregrinos. Com as celebrações acontecendo sem a presença dos fiéis, o acesso ao templo acontece fora dos horários de missas. Já a visitação à Imagem original da Padroeira do Brasil ainda pode ser realizada, sob a condição de que os protocolos sanitários fossem observados pelos peregrinos.

A ação social do Santuário Nacional se une às mais de 115 mil obras de caridade mantidas pela Igreja Católica em todo o mundo, segundo dados divulgados pelo Anuário Estatístico da Igreja. Considerada a maior instituição de caridade do planeta, a Igreja quer manter vivo o legado de Jesus, traduzindo a fé em obras.

Fonte: Site do Santuário Nacional de Aparecida

Veja Também