Coletiva de imprensa aborda Campanha da Fraternidade 2019

0

A Campanha da Fraternidade, que tradicionalmente marca a Quaresma na Igreja do Brasil, foi tema de uma coletiva de imprensa na tarde da última sexta-feira, 1º de março, no prédio da Cúria Metropolitana. Na ocasião, o tema foi abordado pelo arcebispo, Dom Gil Antônio Moreira, pelo secretário executivo da Pastoral Arquidiocesana, Padre Everaldo José Sales Borges, e pelo vigário episcopal para Educação, Comunicação e Cultura, Padre Antônio Camilo de Paiva.

O arcebispo metropolitano começou dizendo aos jornalistas que a CF é uma iniciativa brasileira e que será realizada pelo 55º ano. “Ela teve início em 1964 e de lá para cá teve uma história bastante importante, sobretudo para a conscientização do nosso povo a respeito de problemas da área social. A campanha visa o bem da pessoa humana, independente de credo religioso”.

Em 2019, o tema da Campanha da Fraternidade será “Políticas Públicas”. Dom Gil ressaltou que, devido à capilaridade da Igreja Católica, presente em zonas urbanas e rurais, ela pode fazer que uma determinada reflexão leve a uma medida governamental. “Quando a Igreja trata de políticas públicas, ela não está fugindo do seu objetivo e não está fazendo nenhum trabalho de oposição a este ou àquele governo. A Igreja não tem partidos, ela tem princípios. E com esses princípios, ela quer ajudar os governantes a encontrar caminhos de solução para problemas sérios. O objetivo da política é o bem público, e este é interesse da Igreja”.

Padre Everaldo explicou a diferença entre problema público e política pública. “O problema público é caracterizado pelo excesso ou carência de alguma situação na sociedade, é aquilo que afeta a população. Já políticas públicas são diretrizes, as iniciativas que acontecem para resolver o problema público”. O sacerdote ainda destacou que essas ações não são exclusividade do Estado. “O poder público pode ser um dos gestores de diretrizes, mas existem iniciativas individuais e de organizações e entidades, como da Igreja”.

Por fim, Padre Everaldo falou da mudança da consciência das pessoas como fator importante para a resolução de problemas sociais. “Como a Campanha da Fraternidade é realizada no tempo da Quaresma, a Igreja também acredita que movendo os corações das pessoas, chamando à conversão, que significa mudança de estilo de vida a partir da Palavra de Deus, no caminho da fé, ela pode promover o bem público a partir daí. A gente consegue transformar o mundo a partir da transformação de cada um. E aí a Igreja atua também”.

Padre Camilo, por sua vez, salientou a dupla finalidade da CF 2019. “Ela tem um objetivo interno, no sentido de estimular a participação pública do cristão católico à luz da Palavra de Deus e da doutrina social da Igreja. É um momento que mostra dois horizontes: o da evangelização e o da transformação social”.

A CF 2019 será oficialmente lançada em Juiz de Fora no dia 6 de março, Quarta-feira de Cinzas, às 19h, na Catedral Metropolitana. A celebração será presidida pelo arcebispo metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira. No dia 21, o pastor falará sobre o assunto em Tribuna Livre, na Câmara Municipal de Juiz de Fora.

Outro evento que destacará a Quaresma e a Campanha da Fraternidade será a Via-Sacra Jovem, que este ano chega à décima edição. O evento está marcado para 24 de março, tendo início às 8h, com concentração na Igreja Nossa Senhora de Fátima, na Cidade Alta.

Ação de Solidariedade em Brumadinho

Na coletiva de imprensa da sexta-feira (1º), Dom Gil também falou sobre a ida de equipes da Arquidiocese de Juiz de Fora a Brumadinho (MG). A população da cidade sofre desde o rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, que já vitimou quase 300 pessoas e prejudicou materialmente muitos moradores da região.

O arcebispo destacou a presença da Igreja desde as primeiras horas da tragédia – representada, principalmente, pela Arquidiocese de Belo Horizonte – e indicou a ida de dois grupos de nossa Igreja Particular.  O primeiro deles será composto por três sacerdotes: os padres José de Anchieta Moura Lima (administrador paroquial da Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Benfica), Monsenhor Luiz Carlos de Paula (vigário geral e pároco da Catedral) e Luiz Eduardo de Ávila (vigário paroquial da Catedral) ficarão em Brumadinho entre os dias 20 e 22 de março.

A segunda equipe de missionários, que contará com a presença do próprio Dom Gil, será composta por religiosos e leigos. A data da viagem ainda será definida. O objetivo comum de ambos os grupos, dar conforto espiritual e levar a Palavra de Deus aos habitantes da cidade mineira.

Conteúdo Relacionado
X