CNBB organiza retorno do trabalho presencial em sua sede

0

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) está em fase de finalização de um protocolo que organizará o retorno de seus colaboradores às atividades presenciais de trabalho à sede da entidade no Setor de Embaixadas Sul, em Brasília (DF). Esta informação foi dada ontem, 14 de julho, pelo subsecretário adjunto geral da entidade, padre Dirceu de Oliveira Medeiros.

Segundo ele, não é retomada porque a CNBB não parou neste tempo. “Trata-se de uma retomada presencial que será feita em ondas, sempre considerando uma aferição gradativa da realidade de acordo com a evolução da pandemia”, explicou.

Duas linhas, ressaltou o padre, vêm orientando a atuação do Gabinete de Crise, criado pelo secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado, desde quando se instalou a pandemia no país. “A primeira delas, é a da preocupação com a vida e com a saúde dos colaboradores. A segunda está sendo a preocupação com a saúde financeira e a sustentabilidade da CNBB. Elas estão estritamente ligadas uma à outra”, apontou.

Num primeiro momento da pandemia, quando as autoridades sanitárias e políticas, determinaram o distanciamento social como prevenção do avanço do novo coronavírus, a CNBB tomou uma série de medidas: liberou seus colaboradores para o trabalho em “Home Office”, evitando a perigosa tarefa do deslocamento em transporte público de suas casas até à sede. “Adotamos o teletrabalho, o banco de horas e antecipamos férias com esta preocupação de preservar a vida. Outra medida foi preservar o emprego e o trabalho. Nisto, usamos também a medida provisória nº 936 que contemplou redução de jornada e de salários”, informou.

O Gabinete de Crise da CNBB reúne-se, com muita frequência, para mensurar a realidade, avaliar as movimentações e alterações no quadro da pandemia e o contexto vivido no Brasil e em Brasília. “É partir disto que estamos traçando este protocolo que está em fase de finalização. Vamos trabalhar com ele na perspectiva de que possa ser alterado a cada momento de acordo com a situação externa, que muda o tempo todo e é muito instável”, afirmou.

Nesta retomada ao trabalho presencial à sede da CNBB, o subsecretário adjunto geral da CNBB informa que serão convocados, num primeiro momento, somente os colaboradores de estrita necessidade e que muitos poderão ser mantidos em regime de teletrabalho. “A pandemia trouxe para nós a percepção de que é possível trabalhar de um modo novo, com um novo modus operandi. Percebemos que é possível realizar trabalhos e atividades à distância com a mesma celeridade e competência, atendendo às necessidades da instituição”, disse.

Na avaliação do padre Dirceu, o trabalho à distância evita uma série de inconvenientes, como o transporte e a necessidade de deslocamento de casa ao trabalho e uma série de impactos ambientais, como a produção de poluição. “Não apenas a CNBB, mas todo setor empresarial e de negócios entendeu que esta forma de trabalho é tão eficaz, em algumas áreas, quanto presencial. “Descobrimos que gastamos muita energia desnecessariamente, que o trabalho virtual é tão competente e responde tão bem às necessidades das empresas e instituições quanto o presencial”, comparou.

O Protocolo e o “novo” normal

Ontem, 14 de julho, aconteceu uma reunião com os colaboradores que estão em trabalho presencial na sede da CNBB. O que está já sendo vivido como experiência de cuidado deste grupo, um reduzido número de colaboradores da CNBB que está atuando na segurança, recepção e apoio na cozinha, limpeza e conservação, será considerado no protocolo de retorno ao trabalho a ser aplicado aos demais que retornarem às atividades no prédio da entidade.

As medidas asseguram que os trabalhadores não usem transporte público da casa até o trabalho. Nas entradas da sede, foi adotado o uso de tapetes sanitizantes, para higienizar os calçados e também foi implantada aferição da temperatura diária. Todos os que estão trabalhando na sede foram e serão testados. “Na sede temos procurado seguir as orientações médico-sanitárias, priorizando a vida e preservando a saúde dos colaboradores, especialmente daqueles que, por função da natureza de seu trabalho, precisam estar no espaço físico para realizá-lo”, disse.

Antes do retorno presencial ao trabalho está prevista uma higienização e desinfecção no prédio da CNBB, por meio da contratação de uma empresa, e também um treinamento virtual com todos os colaboradores para aplicação correta do que prevê o protocolo. O padre Dirceu destaca ainda que, sistematicamente, estão sendo feitas reuniões, em regime remoto, com os coordenadores de setores da CNBB, para acompanhar os trabalhos e manter a unidade do grupo.

O subsecretário adjunto geral da CNBB vem pautando a gestão da entidade na pandemia de forma a dar mais leveza à instituição e também na busca pela “exemplariedade” nas ações conforme vem, insistentemente, orientando o presidente da conferência, o arcebispo metropolitano de Belo Horizonte (MG), dom Walmor Oliveira de Azevedo. “Temos feito um grande esforço para que a condução deste processo priorize a vida e que a nossa atitude seja exemplar no sentido de ser um testemunho para a toda a Igreja no Brasil”, concluiu.

Fonte: Site da CNBB

Conteúdo Relacionado
X