Chega ao final a missão da Arquidiocese no Haiti

Foto: Missão JF/Haiti
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Movida pelo lema: Uma arquidiocese sempre em missão, a Igreja particular de Juiz de Fora tem dado passos concretos de compromisso com os pobres e sofredores, lançado o olhar para o Haiti, o país mais pobre das Américas. Desde o dia 12 de janeiro uma equipe de missão esteve conhecendo melhor as necessidades do povo haitiano, colaborou com algumas obras de caridade do local, planejou os futuros passos da missão e apresentou suas propostas ao bispo local.

O grupo ficou hospedado na casa dos Franciscanos na Providência de Deus, tendo a oportunidade de conhecer as experiências vividas pelo Frei Gabriel Martins Alves e Frei Pedro Caetano da Silva.

No dia 17, a comitiva esteve com Dom Max Leroy Mesidor, o arcebispo da Arquidiocese de Porto Príncipe, que ouviu atentamente as propostas que nossa arquidiocese tem com o país local e demonstrou agradecimento com o trabalho já realizado. “Ficamos muito contentes com sua simpática recepção e suas expressões de gratidão pelos nossos trabalhos missionários. ”, conta Dom Gil.

O jovem missionário Yago Motta, expressou sua satisfação com o trabalho desenvolvido ao longo desses 7 dias no Haiti e afirma sair mais confiante do impacto positivo que o trabalho da arquidiocese de Juiz de Fora pode realizar em tal local. “Saio duplamente contente, primeiramente, por uma realização espiritual minha, por encontrar essa realidade e ter a certeza de que eu posso estar fazendo um pouco mais por esse povo. E, em segundo lugar, porque tivemos a certeza que nós como grupo temos capacidade, confiando em Deus. O desafio é grande, mas nada pode ser comparado ao que Deus nos dá.”

Chegando ao fim da semana, no sábado (19), Dom Gil e Yago partiram rumo ao Panamá para participarem da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) e o padre Leonardo retornou ao Brasil.

Colaboração: Ana Maria Roberto

Veja Também